Mato Grosso, Quarta-Feira, 20 de Novembro de 2019
Logo Só Informação
Informe Publicitário
SINOPENSE

Sinopense prefere comprar à vista e pagar em dinheiro

Marcia Jordan

23/08/2014 às 09:43

Sinopense prefere comprar à vista e pagar em dinheiro

Este mês a pesquisa CDL / UNEMAT pesquisou, além da inflação e confiança empresarial, os HÁBITOS DE CONSUMO E PAGAMENTO DO CONSUMIDOR. A pesquisa feitajunto a população da cidade, verificou que 67% dos consumidores prefere fazer compras à vista e 73% delas paga em dinheiro.  Nas compras à prazo 35% dos entrevistados utiliza o crediário próprio e 30% cartão de crédito. Apenas 16% dos entrevistados têm mais de um cartão de crédito, 76% não conhece as taxas de juros que o cartão cobra e 46% das pessoas compra pensando apenas no valor da parcela. Finalizando a pesquisa foi perguntado que tipo de produto é mais comprado e a resposta foi: 52% roupas, 27% calçados, 7% eletrônicos, 6% perfumes, 6% moveis e 1% para joias, relógios e óculos.

INFLAÇÃO

O INDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR, mais conhecido como INFLAÇÃO DE Sinop, registrou uma alta de 0,80% com referência ao mês de julho, mantendo o padrão de inflação observado no mês anterior (junho 0,71%).

Com relação aos itens que compõem a cesta de consumo, as maiores altas ficaram por conta da alimentação e da comunicação. Contudo, a inflação deste mês pode ser atrelada à alimentação uma vez que este item possui peso (importância) na cesta de consumo cerca de 4 vezes maior que a comunicação. A alta nos preços dos alimentos é comum nesta época do ano devido ao período de entressafra (que reduz a oferta de alimentos) e à localização da região (que aumenta os custos de transporte).

Dentre os alimentos que registraram importante alta estão a batata-inglesa (89,6%), o tomate (27,3%), os cortes de carne em geral e a alimentação fora do domicílio que ficou 17,5% mais cara este mês.

Já o destaque de baixa deste mês ficou com o vestuário (-5,63%), ainda refletindo a concorrência, a queda nas vendas e as trocas de coleção (liquidações). Apesar da queda expressiva do vestuário, esta não foi capaz de reduzir a inflação, pois, novamente, a alimentação possui importância cerca de 3 vezes maior que o item vestuário na cesta de consumo.

INDICE DE CONFIANÇA EMPRESARIAL

O levantamento de informações ocorreu durante os dias 01 e 15 do mês de agosto/2014 referente aos últimos 30 dias de atividade econômica com 93 empresas entrevistadas.

Em um cenário pós Copa do Mundo, apesar da leve recuperação nas expectativas, os empresários continuam cautelosos a respeito do desempenho da economia sinopense para os próximos meses. O Índice de Confiança Empresarial (ICE) apurado no início do mês de agosto (109) foi 5,83% maior em relação ao do mês de julho (103). Esse resultado positivo pode ser atrelado a avaliação atual da economia feita pelos empresários, com destaque para o investimento e as contratações realizadas no último mês. Nesse sentido, a economia local parece ter surpreendido positivamente os empresários no último período.

Já a expectativa futura (para os próximos três meses) continua estagnada. As medidas adotadas pelo Governo para estimular a economia por um lado, como a injeção de R$45 bilhões para incentivar o crédito, e as medidas de contenção da inflação por outro lado, como a manutenção do nível de juros, afetam as expectativas, pois causam incerteza em relação ao futuro, o que leva os empresários a tomar mais cuidado na hora de fazer investimentos ou realizar contratações. Apesar disso, a aproximação do fim do ano (bom período para as vendas) parece animar os empresários uma vez que a expectativa sobre investimento e contratações para os próximos meses aumentaram 17,24% e 78,38%, respectivamente, em relação à última avaliação.

O cenário econômico para os próximos meses continua sem novidades com as influências da disputa eleitoral, poucos feriados prolongados (que incentivam o consumo), desaceleração da economia e expectativa pela chegada do fim do ano.

Redação com Assessoria