Mato Grosso, Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019
Logo Só Informação
Informe Publicitário
VEREADORES

Vereadores aprovam projeto e salário dos professores do município será igual ao do Estado

Marcia Jordan

20/08/2014 às 06:49

Vereadores aprovam projeto e salário dos professores do município será igual ao do Estado

Com o projeto, o salário inicial dos professores da rede municipal sobe 14.6%, saltando de R$ 2.314,58 para R$ 2.652,50.

A partir do mês de agosto, os professores da rede municipal de Lucas do Rio Verde terão o mesmo salário inicial do que os professores da rede estadual, R$ 2.652,50, por 30 horas de trabalho por semana.

O projeto de lei que equipara os vencimentos dos profissionais do município ao do Estado foi aprovado na manhã de ontem (18), pelos vereadores e segue para a sanção do prefeito em exercício, Miguel Vaz.

De acordo com a vereadora Cleusa de Marco (PT), a medida é válida apenas para os profissionais com curso superior, mas o reajuste de 14.6% no salário base dos professores melhora os vencimentos de toda a categoria.

“Com o aumento no salário base, que antes do projeto era de R$ 2.314,58, a gente melhora principalmente a situação dos professores que estão começando na carreira, que é a grande maioria. No caso dos professores com tempo de serviço e elevação superior, o ganho real médio chega a 7%.”

 A luta pela equiparação salarial vinha sendo discutida desde o ano passado dentro da comissão de estudos formada por representantes dos poderes Executivo, Legislativo e do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Pública de Mato Grosso (Sintep).

Segundo a presidente da entidade, Tânia Jorra, além do ganho real sob os salários dos professores com curso superior, os profissionais com formação magistério também foram beneficiados com aumento de mais de 10%.

“Com o aumento no piso do magistério, o salário dos professores sobe de R$ 1.578,36 para R$ 1.768,33, maior que o piso nacional (R$ 1.697,37) e que o piso do Estado de Mato Grosso, que é de R$ 1.739,25.”

Além dos aumentos, os vereadores aprovaram o Projeto de Lei nº 86/14 que garante reajuste de no mínimo 2%, acima da inflação para 2015 e novamente a equiparação salarial com o Estado em 2016, caso o índice aplicado pelo município seja inferior ao da rede estadual.

O vereador Gilson Gregório ressaltou a importância do grupo de estudos e do diálogo aberto entre os representantes dos trabalhadores, a Secretaria Municipal de Educação e os vereadores.

“O importante é que conseguimos chegar ao consenso, atender as reivindicações dos professores, sem prejudicar as contas públicas. Com isso, ganha o profissional, que se sente mais valorizado e ganha o aluno, com professores mais incentivados a ensinar.”

Redação com Assessoria