Mato Grosso, Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019
Logo Só Informação
Informe Publicitário
ABATIDO

Abatido e mais magro, Eder deixa aeronave da PF algemado

Marcia Jordan

23/07/2014 às 20:10

Abatido e mais magro, Eder deixa aeronave da PF algemado

O ex-secretário de Estado, Eder Moraes (PMDB), preso no Complexo Penitenciário da Papuda em Brasília desde o dia 20 de maio, chegou no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, no final da tarde desta quarta-feira (23). Ele desembarcou do avião da Polícia Federal algemado e e sob escolta de agentes da PF.

Depois seguiu rumo à Polinter e chegou por lá por volta das 20h sendo aguardado por seus advogados e também por jornalistas. 

Visivelmente mais magro, Eder apresenta barba por fazer e utilizou um blazer para esconder as algemas. Ele vai depor nesta quinta-feira (24), pela primeira, vez no processo originado da Operação Ararath. Ele é réu no processo pelo crime de lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro. Depois de ter deixado o aeroporto em Várzea Grande, Moraes foi escoltado em viaturas da Polícia Federal em direção à Cuiabá. Ele será levado para a Polinter, local onde passará a noite.

A primeira audiência de instrução do processo foi realizada no dia 3 deste mês quando o juiz da 5ª Vara Federal, Jeferson Schneider, ouviu apenas o empresário Gércio Mendonça Júnior, o Júnior Mendonça, que não é réu no processo, mas tem envolvimento direto com os fatos investigados na Operação Ararath. Ele foi beneficiado com a delação premiada, e, com base em seu depoimento, ainda na fase dos inquéritos conduzidos pela Polícia Federal, foi deflagrada a 5ª fase da operação. À ocasião em que Mendonça foi ouvido, Eder Moraes permaneceu em Brasília, mas acompanhou o depoimento por meio de videoconferência.

Ex-secretário de Fazenda e apontado como principal operador de esquema de lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro, Eder sempre alegou ter agido a mando do ex-governador Blairo Maggi (PR), hoje senador e do atual governador Silval Barbosa. Ambos foram arrolados por Eder como testemunhas de defesa, mas Silval conseguiu uma decisão na Justiça Federal que o dispensa de testemunhar nesta quinta-feira (24) a favor de Eder.

Fonte Gazeta Digital