Mato Grosso, Quinta-Feira, 1 de Outubro de 2020
Logo Só Informação
Informe Publicitário
POR

Por 4 a 1, TRE cassa mandato do deputado federal Júlio Campos

Marcia Jordan

22/07/2014 às 11:54

Por 4 a 1, TRE cassa mandato do deputado federal Júlio Campos

A fase da família Campos, uma das mais tradicionais na política do Estado, não anda das melhores. Após o senador Jaime Campos (DEM) desistir de concorrer a reeleição devido a traições do grupo político a que pertence, o irmão dele, deputado federal Júlio Campos (DEM) teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na manhã desta terça-feira.

Foram quatro votos pela cassação contra 1 pela absolvição. O juiz Lídio Modesto se declarou suspeito para emitir voto.

O processo de Júlio Campos estava emperrado a algumas sessões no Tribunal devido a inúmeros pedido de vistas. Ao final, os juízes Agamenon Alcântara, Maria Helena Póvoas, José Luis Blaszak e Pedro Francisco. Apenas o juiz Samuel Dalia Franca Júnior votou favorável ao democrata.   

Júlio é acusado de compra de votos na campanha eleitoral de 2010. A Polícia Federal encontrou, através de cumprimento de mandado de busca e apreensão, tickets combustível e de alimentos na empresa do filho dele, Júlio Neto, hoje candidato a deputado estadual.

Esses documentos distribuídos a população em troca de votos para o democrata.

A decisão cabe recurso no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Caso não reverta, a ex-deputada Thelma de Oliveira (PSDB), 1ª suplente da coligação, retorna a Câmara dos Deputados.

APOSENTADORIA

A cassação do mandato antecipa em seis meses a aposentadoria de Júlio Campos da política matogrossense. O parlamentar não registrou candidatura a reeleição para as eleições de outubro.

Em 40 anos na política, o deputado exerceu os cargos de prefeito de Várzea Grande, governador do Estado, senador da República e conselheiro do Tribunal de Contas. Nestas eleições, ele se dedica a eleger o filho para uma das cadeiras na Assembleia Legislativa.

Folhamax