Mato Grosso, Sábado, 16 de Novembro de 2019
Logo Só Informação
Informe Publicitário
MT

MT em 2º no ranking de desmatamento

Marcia Jordan

22/07/2014 às 07:04

MT em 2º no ranking de desmatamento

Mato Grosso registrou uma queda de 35% de desmatamento entre 2013 e 2014, se comparado com o ano anterior. Ainda assim, o Estado foi o segundo maior destruidor da Amazônia Legal, responsável por 378 quilômetros quadrados de florestas desmatadas. 

De acordo com dados do Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD), realizado pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), entre agosto de 2012 e junho de 2013, o Estado havia desmatado 584 km². No último ano, Mato Grosso foi responsável por 22% do desmatamento da Amazônia. 

Segundo o estudo, houve uma redução de 9% do desmatamento acumulado na Amazônia Legal. Entre 2012 e 2013, 1.855 km² de florestas haviam sido desmatadas, enquanto entre 2013 e 2014 foram 1.690 km². 

O Pará também registrou diminuição no índice de desmatamento acumulado de 14%, mas continuou no topo do ranking do desmatamento, responsável por 38% do desmatamento na Amazônia Legal, durante o último ano. No intervalo 2012/13 o Pará havia desmatado 753 km² enquanto em 2013/14 o Estado destruiu 644 km². Amazonas e Rondônia destruíram 16% cada um, com 227 km² de áreas desmatadas. 

JUNHO – No mês de junho o desmatamento cresceu 358% em comparação com ao mesmo período de 2013. Enquanto no último ano, 184 km² de florestas haviam sido destruídas, no último mês, o número subiu para 843 km². 

Pará foi responsável por 54% do desmatamento com 464 km². Seguido pelo Amazonas, com 136 km² (16%), Rondônia 126 km² (15%), Mato Grosso 115 km² (14%) e Acre 2 km²(1%). 

Segundo o Imazon, aproximadamente 59% do desmatamento de junho ocorreu em áreas privadas sob diversos estágios de posse. O restante foi realizado nas Unidades de Conservação (27%), assentamentos da reforma agrária (13%) e Terras Indígenas (1%). 

DEGRADAÇÃO – A degradação florestal acumulada da Amazônia, caracterizada por florestas intensamente exploradas pela atividade madeireira e/ou queimadas, sofreu uma redução de 58% em relação ao período anterior. Foram 614 km² de áreas degradas contra 1.462 km² entre 2012 e 2013. Mato Grosso registrou uma redução de 33% durante o período. Em 2013/14 o Estado degradou 489 km², já em 2012/13, 726 km² de florestas foram degradas. 

 

 

Diariodecuiabá