Mato Grosso, Quarta-Feira, 23 de Junho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
SEQUESTRADORES

Sequestradores exigiram R$ 900 mil para liberar família morta em MT

Marcia Jordan

24/12/2015 às 09:41

Sequestradores exigiram R$ 900 mil para liberar família morta em MT

juina-news-2Informações colhidas por policiais civis de Juína apontam que os bandidos que sequestraram e mataram três pessoas da mesma família numa fazenda nesta quarta-feira exigiam R$ 900 mil de resgate ou a escritura de uma propriedade das vítimas. Um dos suspeitos do crime é José Carlos Luz Lopes, 39, conhecido da família que está foragido.

As vítimas foram identificadas como Luzinete Silva, 50, Matheus Barbosa, 14, e Gláucia Barbosa, 18. O chefe da família, Elias Barbosa da Silva entrou em luta corporal com um dos bandidos e conseguiu sobreviver.

Segundo as informações, os bandidos levaram as três pessoas da família para os fundos de uma fazenda vizinha para pressionar Elias a pagar o resgate. No entanto, o resgate não se concretizou e a quadrilha executou a família.

A ideia era retornar a fazenda e também matar Elias. Contudo, ele conseguiu escapar, render um bandido e tomar sua arma.

Na sequência, ele acionou a Polícia Militar e Civil informando sobre o sequestro. Após colher informações sobre o ocorrido, os policiais foram com os bandidos em busca do restante da família. Até o momento, eles não sabiam na execução.

O bandido, identificado como Telmo, levou os policiais até os fundos da fazenda de José Carlos, onde foram encontrados os corpos dos três membros da família. Telmo foi detido e levado a delegacia para prestar esclarecimentos. Policiais estão a procura de José Carlos, que estaria em Cotriguaçu, e de um homem identificado como Jânio, que também teria participação no crime.

O crime chocou a população de Juína. Algumas pessoas foram a delegacia protestar contra a violência. 

Este é o segundo caso de repercussão na cidade em menos de um mês. Há duas semanas, dois amigos foram mortos por índios da etnia Enawenê Nawê, por supostamente furarem um pedágio.

Fonte – Juina News