Mato Grosso, Segunda-Feira, 20 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
LEITÃO

Leitão abomina PMDB no palanque de Mendes

Marcia Jordan

28/01/2016 às 19:17

Leitão abomina PMDB no palanque de Mendes

9c4cbf9cb43a5aca4736654df174c0c0O presidente regional do PSDB, deputado Nilson Leitão, disse na manhã desta quinta-feira (28) que abomina a participação do PMDB na chapa a reeleição do prefeito Mauro Mendes (PSB), que mesmo sendo favorito nas eleições deste ano ainda não assume sua candidatura, protelando o anúncio oficial para o final do mês de maio.

O tucano considera uma incoerência descabida os dois partidos em um mesmo palanque. “Tem coisa que não dá para aceitar. Nós passamos os quatro últimos fazendo oposição ao Governo do PMDB (Silval Barbosa), fomos críticos ferrenhos, apontamos erros e desmandos administrativos e agora, por causa das eleições vamos passar uma borracha e deixar tudo pra lá? É claro que não”, argumenta Leitão.

A discussão em torno da aliança com o PMDB tem duas vertentes, a primeira, pelo fato do senador Blairo Maggi (PR) que aguarda apenas a abertura da “janela partidária” para oficializar sua entrada no partido do ex-governador Silval Barbosa, preso a cinco meses sob acusação de comandar um esquema fraudulento de cobrança de propinas para liberação de benefícios do Prodeic, que condicionou sua filiação ao apoio à candidatura de Mauro Mendes em Cuiabá.

E, outra, defendida por um grupo de apoiadores do prefeito sob alegação de que assim a eleição seria “mais fácil”, o que não é aceito pelo dirigente tucano.“Não existe eleição fácil. O PMDB vem há muito tempo caminhando junto com o PT em Mato Grosso, então, que continue assim. Eleição se ganha com trabalho, com reconhecimento popular e não apenas com apoio deste ou daquele partido”, disse.

E, completa: “É preciso entender que com o Mauro (Mendes) assumindo a candidatura o mapa mostra um cenário, sem o Mauro na disputa, o mapa é outro, aí é 100% de certeza de que o PSDB terá candidato próprio a prefeito de Cuiabá.

Ele nos disse que antes de maio não vai verbalizar a sua candidatura e nós dependemos disso porque precisamos dar satisfação a muita gente, pois uma candidatura em Cuiabá reflete em todo o Estado, até que ele decida verbalizar se é candidato ou não, nós vamos continuar tratando internamente a possibilidade de uma candidatura própria, nos preparando para não sermos pegos de surpresa”, explica o presidente tucano.

 

 

Fonte Gazetadigital