Mato Grosso, Sábado, 18 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
PF

PF reavalia apreensões e projeta novas fases da Ararath em março

Marcia Jordan

25/02/2016 às 09:41

PF reavalia apreensões e projeta novas fases da Ararath em março

8e70699c311a8cf3232e8dda16017c4bO delegado Áderson Vieira Leite assumiu a Superintendência Regional da Polícia Federal de Mato Grosso nesta quarta-feira (24) no lugar do delegado Marcos Antônio Farias, que agora vai atuar no comando da PF no Peru. Vieira Leite era o chefe da Divisão de Repressão a Crimes Financeiros e Lavagem de Dinheiro da PF em Brasília e deu apoio às investigações da Operação Lava Jato, que trouxe a público os desvios bilionários e sistemáticos de dinheiro público da Petrobras nos anos dos três últimos mandatos da presidência da República.

O delegado também já trabalhara em Mato Grosso, entre 2008 e 2011, como corregedor da entidade. Aliás, nunca esteve muito longe daqui, pois ele vem da PF de Mato Grosso do Sul.

O novo superintendente assumiu falando em comandar diversas operações contra crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em Mato Grosso já durante a posse no cargo, no auditório do Tribunal Regional Eleitoral. “A minha formação é na área de Polícia Judiciária, na parte operacional. Como chefiei durante cinco anos a Divisão de Repressão a Crimes Financeiros e à Lavagem de Dinheiro em Brasília, pretendo trazer essa expertise para o Estado”, afirmou.

Para isso, porém, ele destacou que primeiramente irá analisar as operações que foram deflagradas nos últimos anos em Mato Grosso. “Aquilo em que é possível avançar, avançaremos. Em breve teremos novos resultados”.
Uma das operações que podem ganhar outras frentes com o novo delegado superintendente é a Ararath, que investiga crimes contra o sistema financeiro nacional e lavagem do dinheiro desviado da Assembleia Legislativa e Governo do Estado.

“A operação Ararath se iniciou durante a minha primeira passagem por Mato Grosso, quando fui corregedor. E, sim, é interesse do departamento de Polícia Federal fazer uma reavaliação de todo aquele material que foi apreendido e deflagrar novas etapas no Estado”, afirmou.

 

 

Fonte Folhamas