Mato Grosso, Segunda-Feira, 20 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
EX-SECRETÁRIO

Ex-secretário de MT recebeu carreta como propina, revela inquérito da PC

Marcia Jordan

29/02/2016 às 07:43

Ex-secretário de MT recebeu carreta como propina, revela inquérito da PC

6b0077551e29603012cd6db20f45b46fAs investigações da Polícia Civil relacionadas a “Operação Sodoma’ indicam que o ex-secretário de Estado de Indústria, Comércio, Minas e Energia e também Casa Civil, Pedro Nadaf, recebeu uma carreta agrícola avaliada em R$ 6,870 mil a título de propina pela DCP Máquinas e Veículos LTDA. A empresa é vinculada a Tractor Parts de propriedade do empresário João Batista Rosa.

Ele confessou ter pago R$ 2,5 milhões em propina a Nadaf para ter suas empresas incluídas no Prodeic (Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial) e assim usufruir de incentivos fiscais. Inicialmente, ele foi considerado delator do esquema, mas, sem seguida, foi tratado como vítima.

O inquérito aponta ainda que a carreta agrícola foi entregue na Rodovia Coenge Km 62, S/N, Zona Rural, no município de Poconé. Embora tenha sido entregue a Nadaf, de acordo com o empresário, a nota fiscal foi emitida em nome de Roberto Peregrino Morales Junior.

A promotora de Justiça Ana Cristina Bardusco solicitou a Polícia Civil diligências complementares para ter mais esclarecimentos do fato. Atualmente, Nadaf está preso preventivamente no CCC (Centro de Custódia de Cuiabá) e responde a uma ação penal na Justiça pela suspeita dos crimes de concussão (praticado por funcionário público, em que este exige, para si ou para outrem, vantagem indevida), extorsão, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Também foram denunciados pelos mesmos crimes o ex governador Silval Barbosa e seu chefe de gabinete, Sílvio Cézar Corrêa de Araújo, o ex-secretário Estado Marcel de Cursi, o procurador do Estado aposentado, Francisco Andrade de Lima Filho e a funcionária da Fecomércio (Federação do Comércio), Karla Cecília de Oliveira Cintra. Nadaf ainda tem outra prisão preventiva decretada, desta vez pela “Operação Seven”.

 

 

Fonte Folhamax