Mato Grosso, Quarta-Feira, 23 de Junho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
ELEITORES

Eleitores de MT aumentam; de Cuiabá tem queda

Marcia Jordan

02/03/2016 às 09:26

Eleitores de MT aumentam; de Cuiabá tem queda
Foto ilustrativa
Foto ilustrativa

Mato Grosso, com 3.205.486 habitantes, chegou a 2.213.494 eleitores em 31 de janeiro deste ano. Este número é 1,08% maior que o eleitorado de 2.189.703 inscrito nos 141 municípios, para votar no pleito de 2014. No período, Cuiabá registrou queda de 0,37%, caindo de 410.010 para 408.495. A redução na capital não está associada ao cadastramento biométrico facultativo, que não impede a contagem dos que o fizeram ou não.

O segundo eleitorado municipal é o de Várzea Grande, com 180.854. Na sequência decrescente, Rondonópolis, com 139.947; Sinop, com 86.109; Tangará da Serra, com 63.046; e Cáceres, com 61.329. Na outra ponta estão os municípios com poucos eleitores: Araguainha, com 815; Serra Nova Dourada, com 1.243; Novo Santo Antônio, com 1.564; Ribeirãozinho, com 1.657; Luciara, com 1.701; Ponte Branca, com 1.710; e Indiavaí, com 1.794.

Os seis maiores municípios elegeram oito deputados estaduais em 2014. Os pequenos, nenhum. Foram eleitos o presidente da Assembleia, Guilherme Maluf, e Wilson Santos (ambos do PSDB), Emanuel Pinheiro (PR) e Eduardo Botelho (PSB), de Cuiabá; Ondanir Bortolini e Sebastião Rezende (ambos do PR), Gilmar Fabris (PSD) e Zé Carlos do Pátio (SDD), de Rondonópolis; Silvano Amaral e Baiano Filho (ambos do PMDB) e Dilmar Dal’Bosco (DEM), de Sinop; Wagner Ramos (PR) e Saturnino Masson (PSDB), de Tangará da Serra; Pery Taborelli (PV), de Várzea Grande; e Leonardo Albuquerque (PDT), de Cáceres.

Os maiores também dominam a bancada federal. No Senado, Blairo Maggi e Wellington Fagundes (ambos do PR), e José Medeiros (PPS), de Rondonópolis. Na Câmara, Fábio Garcia (PSB), Victorio Galli (PSC) e Valtenir Pereira (PMB), de Cuiabá; Adilton Sachetti (PSB) e Carlos Bezerra (PMDB), de Rondonópolis; e Nilson Leitão (PMDB), de Sinop. Ezequiel Fonseca (PP) é de Reserva do Cabaçal e Ságuas Moraes (PT) é de Juína.

O governador Pedro Taques chegou ao poder pelo PDT e se filiou ao PSDB; Taques é de Cuiabá. O vice-governador Carlos Fávaro foi eleito pelo PP, mas migrou para o PSD e assumiu sua presidência regional; Fávaro é de Lucas do Rio Verde.

Nos 140 municípios mato-grossenses a eleição é decidida em primeiro e único turno, porque nenhum deles tem mais de 200 mil eleitores. Somente em Cuiabá, quando se faz necessária, a disputa é feita em dois turnos, como aconteceu em alguns pleitos, a exemplo de 2012, com a vitória de Mauro Mendes (PSB) sobre o petista Lúdio Cabral.

Araguainha, com 976 habitantes, na divisa com Goiás, é o município menos populoso de Mato Grosso e também o que tem o menor número de eleitores, 815, o que equivale a 83,5% da população apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O ex-prefeito Osmari Cezar de Azevedo questiona a estimativa populacional anual do IBGE, mas não discorda dos números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo ele, o recenseamento não computa boa parte da população ali residente, mas que trabalha no terminal ferroviário da vizinha Alto Araguaia. A soma dos presentes e ausentes aumentaria “para mais de 1.600 moradores”, observa Azevedo.

 

 

 

Fonte DiariodeCuiaba