Mato Grosso, Quinta-Feira, 23 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
SECRETÁRIA

Secretária é presa por mudar IR de Nadaf e declarar apartamentos em MT e SP

Marcia Jordan

14/03/2016 às 08:45

Secretária é presa por mudar IR de Nadaf e declarar apartamentos em MT e SP

c88045e2b75c1d72e65311af136b1934A ex-secretária da Fecomércio (Federação do Comércio de Mato Grosso), Karla Cecília de Oliveira Cintra, foi presa preventivamente na manhã de sexta-feira pela suspeita de tentar atrapalhar as investigações da “Operação Sodoma”. Em setembro do ano passado, ela havia sido alvo com a utilização de tornozeleira eletrônica.

Dados colhidos pela Polícia Civil no computador pessoal da assessora direta do ex-secretário da Casa Civil e Indústria, Comércio Minas e Energia, Pedro Nadaf, descobriram que ela estava tentando dar uma aparente legalidade aos bens obtidos pelos supostos desvios no palácio Paiaguás. Uma varredura nas máquinas detectou que no dia 14 de setembro do ano passado, um dia antes da primeira fase da “Operação Sodoma”, a ex-secretária fez uma retificação no Imposto de Renda de Nadaf do ano de 2014.

Ele fez a a inclusão de dois apartamentos de luxo, sendo um em Cuiabá e outro em São Paulo (SP). “Nos autos da ação penal da Operação Sodoma há informações decorrentes de busca e apreensão efetivada na Fecomércio, mais especificamente nos dados armazenados no computador de uso da investigada, informações que a mesma, agindo no interesse da organização criminosa e de seu estimado chefe Pedro Jamil Nadaf, no dia 14 de setembro de 2015, às 18:46h, um dia antes da deflagração, retificou a Declaração de Imposto de Renda de pessoa física (IRPF) Pedro Nadaf incluindo no rol de bens e direitos dois imóveis”, diz o relatório policial.

O imóveis na capital de Mato Grosso é um apartamento no edifício Pantanal III com valor de R$ 398 mil. Já o outro é um apartamento de 84 metros quadrados no edifício Host Paraíso, em São Paulo (SP) com valor de R$ 760 mil.

Para delegados e promotores, Karla tentou dar aparência de legalidade aos bens. “Há indícios fortes de que o propósito destas ações era tão somente de inovar o estado de coisas e pessoas, objetivando dar a aparência regular e legal à constituição da empresa de fachada denominada NBC e ao patrimônio de Pedro Nadaf”, comenta.

FUGA E VAZAMENTO

Além de retificar o Imposto de Renda de Nadaf um dia antes da operação, a recuperação de dados dos computador da ex-secretária demonstra que ela e Pedro Jamil Nadaf, filho do ex-secretário, iriam para São Paulo no dia 15 de setembro, data da operação.

“O Ministério Público aponta, ainda, para o fato de existir no referido HD a emissão de duas passagens aéreas com embarque marcado para o dia 15 de setembro às 18hs54min e destino a São Paulo, em nome de Karla e Pedro Jamil Nadaf Filho, fato que demonstra a intenção da representada, em conluio com o Pedro Nadaf, de se furtar à aplicação da lei penal e ainda obstar a instrução criminal, que apenas não se concretizou em razão da deflagração da Operação Sodoma naquele dia”, sintetiza.

Também é questionado o fato de que Pedro Nadaf ter comprado uma passagem só dia ida no dia 16 de setembro para Brasília (DF). “Quanto ao fato de existir informação no Relatório Técnico quanto à existência de uma passagem aérea somente de ida no dia 16 de setembro de 15, para Brasília, registro que embora Pedro Nadaf tenha alegado no interrogatório em juízo, na Ação Penal decorrente da Operação Sodoma, que se tratava de viagem destinada ao comparecimento à audiência, o que restou, inclusive, documentado na ocasião, realmente não ficou esclarecido o motivo pelo qual não houve aquisição de passagem de volta”, opina.

Em seguida, são citados diálogos de Pedro Nadaf com pessoas de seu círculo como a ex-esposa Geiziane Rodrigues Antelo, a amiga íntima Narjara de Barros e o ex-secretário Marcel de Souza Cursi, também preso. A juíza destaca a reunião entre o ex-secretário com o ex-diretor geral da Policia Civil de Mato Grosso, Anderson Garcia.

 

 

Fonte Folhamax