Mato Grosso, Terça-Feira, 22 de Junho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
BRASIL

Brasil e EUA devem concluir no 1º semestre abertura de mercado para carne bovina de Mato Grosso

Marcia Jordan

14/03/2016 às 10:19

Brasil e EUA devem concluir no 1º semestre abertura de mercado para carne bovina de Mato Grosso

carne-bovina-foto-reproducao-internet(3)Ainda no primeiro semestre o Brasil e os Estados Unidos devem concluir a abertura “recíproca” de mercado à carne bovina congelada e resfriada. Em junho do ano passado os Estados Unidos publicou uma norma autorizando a importação de carne bovina in natura de Mato Grosso e outros 12 estados, além do Distrito Federal, colocando desta forma um fim de 15 anos a restrição do governo norte-americano.

Para que a liberação seja concluída restam apenas às negociações no âmbito de saúde pública, de acordo com a secretária de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tatiana Palermo.

A secretária de Relações Internacionais do Agronegócio do Mapa destaca que o gado brasileiro, em especial de Mato Grosso, conhecido como “boi verde”, por ser criado a pasto, produz carne saudável e com baixo teor de gordura, indo assim de encontro com as tendências de consumo dos mercados mais exigentes, como é o caso dos Estados Unidos.

Conforme o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, as tratativas entre Brasil e Estados Unidos deverão resultar uma definição de um modelo de Certificação Sanitário Internacional que visa amparar os embarques dos produtos e a habilitação por parte do país norte-americano.

Além de Mato Grosso, os Estados Unidos autorizou, por meio de normativa, a importação de carne in natura da Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Rondônia, São Paulo, Sergipe, Tocantins e do Distrito Federal.

O último pedido de exportação de carne in natura brasileira para os Estados Unidos havia sido embarcado em 1999.

 

 

 

Fonte OlharDireto