Mato Grosso, Quarta-Feira, 23 de Junho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
CÂMARA

Câmara de Cuiabá cita economia anual de R$ 100 mil e garante estar a disposição do MPE

Marcia Jordan

16/03/2016 às 14:07

Câmara de Cuiabá cita economia anual de R$ 100 mil e garante estar a disposição do MPE

64fd49a51974177b6e18d2ddc4b59a57A Câmara de Vereadores de Cuiabá afirmou na manhã de hoje estar “a disposição total” do Ministério Público Estadual para prestar os esclarecimentos necessários em relação a abertura de um inquérito civil sobre o pagamento de R$ 310 mil para a empresa Intelipar Criações de Documentos Virtuais Ltda contratada para prestar serviço de digitalização no ano de 2012. A investigação será conduzida pelo promotor Mauro Zaque.

Em documentos encaminhados , o Legislativo explica que o contrato com a empresa Interlipar foi assinado em 2012 com base numa adesão a uma ata de Registro de Preços da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) realizada no ano de 2010. Além de efetuar a digitalização, a empresa prestou o serviço de higienização dos documentos de todos setores do Legislativo desde a criação do parlamento em 1727 com fornecimento de funcionários e treinamento.

Ao todo, a empresa Interlipar fez 4.534.051 milhões cópias de documentos, o que contrapõe a denúncia feita por um servidor a época em que o Legislativo era presidido pelo vereador cassado João Emanuel (PSD). Aliás, o presidente da Câmara, Júlio Pinheiro, é adversário político do ex-parlamentar e foi um dos líderes do movimento que culminou com a cassação de João Emanuel por inúmeras irregularidades no Legislativo.

Sobre a digitalização de folhas em branco na capa dos documentos, a Câmara explicou que o Conselho Nacional de Arquivos determinou em 2010 a medida por questões de segurança. “O processo de captura digital da imagem deverá ser realizado com o objetivo de garantir o máximo de fidelidade entre o documento original com o digital”, esclarece.

O Legislativo ainda informou que encaminhou ao Tribunal de Contas do Estado no ano passado os computadores originais em que os documentos foram digitalizados. O Legislativo pagou R$ 0,12 centavo por documento, um dos valores mais baixos pelo serviço em relação outros poderes.

A Câmara ainda destacou que a contratação da Interlipar representou uma economia anual de R$ 100 mil por ano desde 2012. A Interlipar ainda fornece os computadores em que os arquivos estão digitalizados.

 

 

Fonte:folhamax