Mato Grosso, Quinta-Feira, 29 de Julho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
EMPRESÁRIO

Empresário paga dívida de R$ 2,5 milhões de Silval com Riva

Marcia Jordan

24/03/2016 às 10:39

Empresário paga dívida de R$ 2,5 milhões de Silval com Riva

ef55b2b96ee031079f9390a7e7d6bad2Em depoimento a Polícia Civil, o empresário Willians Mischur, proprietário da empresa Consignum, que mantém contrato com o governo do Estado na área de empréstimo consignado para servidores públicos, revelou que pagou R$ 2,5 milhões ao ex-deputado estadual José Riva (sem partido). O valor serviu supostamente para quitar uma dívida de campanha que o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) mantinha com José Riva.

A quantia foi paga por meio da emissão de cinco cheques nos últimos meses de 2014, que correspondia a R$ 500 mil cada. Os documentos bancários foram entregues ao ex-secretário de Administração, Pedro Elias Domingos, que posteriormente teria repassado ao ex-presidente da Assembleia Legislativa.

O empresário Willans Michur chegou a ter a prisão decretada pela Justiça no dia 11 de março. Porém, a prisão foi revogada após o compromisso de colaborar com a Justiça entregando documentos e outras provas que dão subsídios a existência de um esquema criminoso de desvio de dinheiro público na gestão estadual.

Conforme trechos do depoimento,o pagamento de R$ 2,5 milhões foi intermediado pelo ex-secretário, sobrinho do ex-prefeito de Várzea Grande, Murilo Domingos (PR), preso na terça-feira (23) pela Polícia Civil na terceira fase da Operação Sodoma.

“Se recorda que cinco meses antes do término do mandato do governador Silval Barbosa, Pedro Elias o procurou dizendo que Silval Barbosa tinha um compromisso com José Riva, que era presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, sendo que os valores pagos de propina dos cinco últimos meses de 2014, deveriam ser entregues para José Riva”, diz um dos trechos.

Na ocasião, foi exigida uma antecipação dos cheques ao empresário, que temeu ser cobrado novamente pela propina. Para tranquilizá-lo, o ex-secretário Pedro Elias foi responsável em levá-lo até a casa de Riva onde o ex-deputado estadual informou que não havia motivos para preocupação e exigiu que o dinheiro fosse repassado diretamente para sua pessoa.

“Diante da resistência do declarante, Pedro Elias o levou até a casa de Riva situada no bairro Santa Rosa, sendo tal encontrado no período da manhã em um dia de semana, que na casa de Riva, o declarante, junto com Pedro Elias, conversaram com Riva, tendo Riva confirmado que Silval Barbosa tinha uma dívida com ele de campanha, que era para o declarante passar os cheques para ele (Riva) e que não iria ter problema com esse contrato e que ninguém iria cobrá-lo novamente sobre essas propinas.

Após essa conversa, o declarante entregou para Pedro Elias cinco cheques de R$ 500 mil cada que seria entregues para Riva”, detalha o depoimento.

Atualmente, o ex-deputado estadual José Riva está preso preventivamente no CCC (Centro de Custódia de Cuiabá) desde o dia 13 de outubro de 2015 pela suspeita de desviar até R$ 1,8 milhão dos cofres da Assembleia Legislativa por meio de fraude na verba de suprimento direcionada ao seu gabinete, conforme revelado pela Operação Metástase do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Mesmo citado como beneficiário de um esquema de cobrança de propina, Riva não foi alvo da Operação Sodoma da Polícia Civil.

Mandados de prisão preventiva foram cumpridos contra o ex-governador Silval Barbosa e os ex-secretários Pedro Elias e o ex-chefe de gabinete do ex-governador, Silvio César Correa de Araújo. Os três seguem presos.

 

 

 

Fonte Folhamax