Mato Grosso, Domingo, 25 de Julho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
ALTA

Alta Floresta tem o primeiro caso confirmado de Chinkungunya

Marcia Jordan

31/03/2016 às 09:59

Alta Floresta tem o primeiro caso confirmado de Chinkungunya

d2c989398f1ab3bbab897ccdb567eb8c_LAté pouco tempo atrás, a população brasileira preocupava-se apenas com uma doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, a Dengue apesar de ter quatro estágios diferentes ainda era uma doença única e com diagnóstico similar mesmo para estágios diferentes, para piorar no último ano foi relacionado ao mesmo mosquito vetor duas doenças o zika Virus e a Chinkungunya.

Em Alta Floresta segundo o departamento de Vigilância Epidemiológica existem muitas notificações para as três doenças, porém o município não tem estas confirmações e ainda é dado como ‘zero’ para Zika Vírus, diversos casos de dengue e um confirmado de Chinkungunya.

“Nós temos apenas um caso positivo de Chinkungunya, que retornou recentemente do instituto Adolfo Lutz, os demais confirmados para dengue e a maior parte das notificações registradas no banco de dados é como casos suspeitos”, destacou a coordenadora e enfermeira Fernanda Santos.

Segundo Fernanda o exame da paciente que não foi identificada, foi o mais especifico o de “DNA”, para a diagnosticação destas doenças, a amostra teria sido recolhida no mês de fevereiro e a confirmação chegada há poucos dias. “Pelos registros que nós temos no município de Alta Floresta que são oriundos das unidades básicas de saúde e do hospital regional que também é fonte notificadora”, pontuou.

Nos últimos dias rumores de possíveis casos confirmados de Zika Vírus circulou por Alta Floresta, a coordenadora da Vigilância Epidemiológica Fernanda Santos afirma que ouviu, porém não teve conhecimento oficial dos casos. “Os casos que até então corre a informação que estão positivados para zika vírus no município e que os exames foram feitos em laboratórios particulares, estes por sua vez não retornaram as unidades básicas de saúde, não foram identificados, não foram notificados e não foram registrados”, relatou.

No final do ano de 2015 o Ministério da Saúde confirmou que a infecção causada pelo Zika Vírus pode provocar também à Síndrome de Guillain-barré. No Brasil, a ocorrência de síndromes neurológicas relacionadas ao Zika foi confirmada após investigações da Universidade Federal de Pernambuco, a partir da identificação do vírus em amostra de seis pacientes com sintomas neurológicos com histórico de doença exantemática.

Na síndrome de Guillain-Barré, o sistema imunológico de uma pessoa, que é responsável pela defesa do corpo contra organismos invasores, começa a atacar os próprios nervos, danificando-os gravemente.

 

 

 

Fonte Kariny Santos