Mato Grosso, Sábado, 18 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
QUATRO

Quatro deputados podem disputar a prefeito

Marcia Jordan

04/04/2016 às 08:47

Quatro deputados podem disputar a prefeito

04ef0c1a147aa3652d455c857d8a5cf8A composição da Assembleia Legislativa deve sofrer alterações nos próximos meses em virtude das eleições municipais, uma vez que a campanha eleitoral deve ter início no mês de agosto. Faltando seis meses para o pleito, alguns deputados já são cotados para concorrer às prefeituras do interior do Estado.

Até o momento três nomes já estão trabalhando a pré-candidatura: Pery Taborelli (PSC), Dilmar Dal’ Bosco (DEM) e Zé Carlos do Pátio (SD). Também é cotado para a disputa o deputado Emanuel Pinheiro, que vem sendo a aposta do PMDB.

O deputado estadual Pery Taborelli (PSC) afirmou que sua pré-candidatura à Prefeitura de Várzea Grande já está definida. “Eu sou pré-candidato. Eu fui para o PSC com essa intuição e tenho apoio do partido em âmbito nacional. Sou presidente da sigla no município e hoje estamos alinhados para buscar a vitória na prefeitura”.

Após o pedido do irmão, ex-deputado Dilceu Dal’Bosco (PMDB), o presidente do diretório estadual do DEM, e atual deputado estadual Dilmar Dal’Bosco, afirmou que vê com bons olhos a pré-candidatura para prefeito em Sinop, mas que ainda espera uma definição do grupo político do município.

“Nós temos um grupo político estruturado que deve definir quem vai sair como pré-candidato e no futuro como candidato à prefeitura da cidade. Essa conversa está sendo construída. Eu, como presidente estadual da sigla, estou trabalhando para a construção do meu partido, e vamos analisar bem todas as possibilidade”, explicou o democrata.

O deputado Zé Carlos do Pátio (SD), também é cotado para concorrer à prefeitura de Rondonópolis, após a visita do presidente nacional da sigla, deputado federal Paulinho da Força, no município, onde ele reforçou o nome de Pátio ao cargo. Sua pré-candidatura já é quase certa. “Eu prefiro deixar nas mãos de Deus e do povo. Tenho feito um ótimo trabalho como deputado estadual, mas os meus eleitores em Rondonópolis pedem para que eu volte à prefeitura. Isso será decidido em breve. Agora eu pretendo focar nos meus compromissos parlamentares”.

O parlamentar foi prefeito de Rondonópolis, mas teve o mandato cassado em 2012, sob acusação de arrecadação e gastos ilícitos de recursos em campanha eleitoral, patrocinando 2,8 mil camisetas a eleitores, procedimento proibido pela legislação eleitoral. Após três anos fora da prefeitura, Pátio obteve, em agosto deste ano, uma vitória no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), anulando a decisão que cassou seu mandato de prefeito.

A possível candidatura dos deputados pode atrapalhar os trabalhos na Assembleia Legislativa, já que os parlamentares não devem se desligar do cargo para o pleito. A movimentação em razão das eleições municipais tem trazido reflexos ao cotidiano parlamentar.

O líder do governo na Casa, deputado Wilson Santos (PSDB), já usou a tribuna para reclamar da falta frequente de quórum necessário para a apreciação de projetos. A aproximação do período eleitoral deve afastar ainda mais os parlamentares.

“Temos mais de 20 projetos prontos para serem votados. O que não pode é continuar com as ausências, especialmente em um ano de eleições. Temos que fazer o primeiro semestre ser o mais produtivo possível, porque na segunda metade do ano isso aqui vai ficar cada vez mais vazio”, realçou o tucano.

O líder defende a discussão de propostas como a do deputado estadual José Domingos Fraga (PSD), que defende que as sessões de terças e quintas-feiras sejam apenas de debates entre deputados e convidados, enquanto que as sessões às quartas-feiras permaneçam deliberativas, com votações de projetos e vetos. “Existem projetos que podem nos ajudar, como deixar as votações para quarta-feira, ou até a aplicação de penalidades aos deputados que faltam as sessões sem apresentar justificativa. Com isso, nossas votações não serão prejudicadas”.

Além da previsível falta de quórum dos deputados durante as sessões plenárias, é possível que os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Renúncia e Sonegação Fiscal, também sejam prejudicados, já que o presidente da mesma, deputado Zé do Pátio, pode concorrer para a prefeitura de Rondonópolis. A CPI que teve início em abril de 2015, foi prorrogada pela segunda vez, por mais 180 dias e deve entregar o relatório final até o dia 30 de setembro.

 

 

 

 

Fonte Folhamax