Mato Grosso, Quarta-Feira, 16 de Junho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
ASSALTANTES

Assaltantes do Bradesco em Sinop são presos pela polícia

Marcia Jordan

07/04/2016 às 22:02

Assaltantes do Bradesco em Sinop são presos pela polícia

Dois assaltantes de bancos foram presos pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Judiciária Civil, na tarde desta quinta-feira (07.04), em Cuiabá. Os suspeitos foram identificados nas investigações do roubo à agência do Banco do Brasil da Prainha, em 11 de janeiro, no assalto às Cooperativas de Crédito Sicoob, no bairro CPA, no dia 5 de abril, e Sicredi do Tijucal, no dia 30 de março, e a agência do Bradesco de Sinop, em 17 de fevereiro.

No bairro Dr. Fábio 2 foi preso Cleber Silva de Oliveira, 33 anos, conhecido por “Vovó”. Ele participou dos roubos aos bancos Bradesco em Sinop, Banco do Brasil da Prainha, em Cuiabá, e das Cooperativas do Sicoob, no bairro CPA e do Sicredi do Tijucal. O suspeito foi flagrado com porções de maconha, pasta-base, munições, 1 carregador de pistola 380.

O suspeito Geise de Jesus Lopes, 37 anos, foi preso no bairro Jardim Imperial. Ele faz uso de tornozeleira eletrônica e teria desligado o aparelho quando cometeu o assalto no Sicoob, na companhia de Cleber. Na casa dele foram apreendidos R$ 3,5 mil, em dinheiro, e um revólver calibre 38 com munições.

O delegado do GCCO, Guilherme de Carvalho Bertoli, informou que todos os roubos em agências bancárias e cooperativas ocorridos neste ano, na Capital, estão solucionados, restando apenas dois suspeitos para serem presos. “Desde o primeiro assaltos já tínhamos as qualificações dos possíveis envolvidos”, disse o delegado.

GCCO prende assaltantes de quatro bancos da capital e interior

 

De acordo com o delegado Flávio Henrique Stringueta, a modalidade usada é chamada de “Vapor”, porque os assaltantes agem em menos de dez minutos, não dando tempo para a polícia chegar. “É diferente do Novo Cangaço, quando as quadrilhas agem de forma que a polícia não se aproxima porque usam armas de grosso calibre e fazem escudo humano”, disse.

Nos roubos, os assaltantes agiram de forma semelhante. Um bandido chega à agência logo que é aberta, ludibria o segurança para poder passar na porta giratória, e dentro da agência, saca a arma e rende o vigilante para os comparsas entrarem. Em seguida, mandam os clientes deitarem no chão e rapidamente “limpam” o dinheiro dos caixas.

Os presos nesta quinta-feira serão autuados em flagrante por tráfico de drogas, roubo majorado, posse irregular de armas e munições e associação criminosa.

A ação está dentro da operação Carga Máxima, da Secretaria de Segurança Pública.

Comparsa

O preso Cleber Silva de Oliveira, o “Vóvó”, é comparsa do assaltante, Jomar Silva Luges, 38 anos, conhecido por “Maninho”, preso no dia 8 de março, em Sinop (500 km ao norte de Cuiabá), em ação conjunta da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Sinop, Força Tática da Polícia Militar e policiais do Comando Regional 3, com informações da Gerência de Combate ao Crime Organizado, que já investigava o criminoso.

Jomar é um dos autores do roubo de R$ 100 mil da agência do Sicredi de Sinop, no dia 7 de março. A identidade dele foi confirmada nas investigações do roubo na agência do Banco do Brasil da Prainha, no dia 11 de janeiro de 2016, na companhia de mais dois cúmplice, e pelo roubo ao Banco do Brasil da Unic Beira Rio, em 3 de novembro de 2015. O acusado, Jomar, estava com dois mandados de prisão decretados pelo roubo dessas agências.

Parte do dinheiro roubado do Sicredi de Sinop, equivalente a R$ 75 mil, e 40 mil em cheques foram recuperados, e apreendidos três armas de fogo. Um dos integrantes dessa quadrilha está foragido com mandado de prisão decretado.

Fonte Assessoria