Mato Grosso, Quinta-Feira, 23 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
ADVERSÁRIOS

Adversários oferecem 1ª secretaria ao PSB e tentam desmontar Botelho a presidência da AL

Marcia Jordan

12/04/2016 às 09:54

Adversários oferecem 1ª secretaria ao PSB e tentam desmontar Botelho a presidência da AL

Max, Savi e Oscar são opções para formar chapa com Maluf ou Pinheiro

69cb55798ff1872537b84bee8e162e7eA suposta resistência do palácio Paiaguás ao nome do deputado estadual Eduardo Botelho (PSB) para disputar a presidência da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso já causa impactos dentro da própria bancada socialista, hoje formada por quatro parlamentares. A principal “ferida” é interna na disputa marcada para setembro deste ano.

Nos bastidores, se especula que o vice-presidente do Legislativo Estadual não conta com o apoio de nenhum dos três correligionários, Max Russi, Oscar Bezerra e Mauro Savi. A tendência é que o PSB garanta sua vaga na Mesa ocupando a primeira secretaria em todos os cenários, com a reeleição de Guilherme Maluf (PSDB) ou com a eleição de Emanuel Pinheiro (PMDB).

Atual presidente, o tucano é o favorito. “O projeto do deputado Botelho se inviabiliza com tanta resistência do Governo. Embora os deputados estaduais tenham pouca participação dentro da estrutura do governo, os membros da base aliada pensam duas vezes antes de agir contra a maré do Executivo.

Hoje é quase certo que o PSB isola o Botelho e ganha a primeira secretaria, que é um cargo muito importante, em qualquer uma das chapas”, avaliou um experiente deputado estadual em conversa informal de bastidores com jornalistas da Capital na manhã de hoje.

Qualquer um dos colegas de bancada de Botelho pode pintar como primeiro secretário. Oscar Bezerra apóia Emanuel Pinheiro, mas também é considerado um excelente nome dentro do grupo do presidente Guilherme Maluf.
Max Russi também é cotado na chapa do tucano. E Mauro Savi, que na última eleição da Mesa viveu o mesmo drama vivido hoje por Botelho, pode pintar como surpresa de última hora.

O parlamentar aderiu à base do governo e vem, aos poucos, ganhando confiança em setores governistas. Isolado, Botelho promete uma reaproximação com Emanuel Pinheiro, com quem formou chapa até os últimos dias da eleição da Mesa anterior, mas depois abandonou para compor com Maluf. “Restou ao Botelho tentar uma chapa com o deputado Emanuel, mas isso ainda depende de muita conversa. O Pinheirinho não engoliu a última eleição da Mesa”, confidenciou um deputado.

O principal apoio de Botelho nesse momento é o líder do governo, o deputado Wilson Santos (PSDB). O tucano deve ser enquadrado nos próximos dias pela Casa Civil, que já emitiu vários sinais de desconforto com os posicionamentos do ex-prefeito de Cuiabá.

 

 

 

Fonte Folhamax