Mato Grosso, Quarta-Feira, 23 de Junho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
CORREIOS

Correios acumulam 30 mil encomendas em MT

Marcia Jordan

14/04/2016 às 09:45

Correios acumulam 30 mil encomendas em MT

b7a91f31ccf4ff064b475136c1fa510cMais de 30 mil encomendas e correspondências acumulam nas agências dos Correios de Mato Grosso. Tudo isso, porque falta funcionários e porque foi criado um novo sistema de entrega que se chama Distribuição Domiciliar Alternada (DDA). Ou seja, as entregas são feitas dias sim e dia não.

O coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores das Empresas dos Correios, Telégrafos e Serviços Postais de Mato Grosso, Alexandre Aragão informou que estes atrasos são por dois motivos, falta de funcionários e o sistema de entrega que passou a ser alternados.”Por exemplo, quem mora no bairro Terra Nova, que fica perto do Bela Vista, tinha dois profissionais que fazia as entregas. Hoje existe apenas um, quer dizer que na segunda ele atende o primeiro bairro e na quarta o segundo”.

Alexandre disse que o números de funcionários é insuficiente para fazer todas as entregas. “Hoje temos 700 carteiros, para atender todo o município e precisaríamos de 1100 profissionais. Ou seja está faltando 400 carteiros. “Eles mexeram em toda a estrutura e sucatearam o sistema dos Correios. Isso tudo porque querem privatizar o sistema”.

O coordenador também explica que serão fechadas 6 agências ainda este ano em Mato Grosso, são elas: Agências Marechal Rondon em Rondonópolis, Pontal do Araguaia em Alto Araguaia, Pascoal Ramos, Verdão, Parque do Lago e a Filatélica no Centro de Cuiabá.

Muitos moradores de Cuiabá estão insatisfeitos com os serviços de encomendas e correspondência. Indignados, eles procuraram a reportagem do GD para reclamar do atraso nestes serviços.

A secretária, Jane Lacerda, 45, disse que em dezembro do ano passado, ela enviou uma encomenda por Sedex, pagando R$ 12,50 pela caixa e mais R$ 35 pelo serviço. Mas esta nunca foi entregue.”Quando reclamei, os Correios informaram que vão me devolver a encomenda. Mas não aceito. Os Correios são obrigados a fazer a entrega, já que paguei pelo serviço”.

Outro que também teve problema foi o analista de sistema, Paulo Leite, ele conta ter enviado pelos Correios, em janeiro, uma máquina digital para ser trocada. Mas a empresa destinatária nunca recebeu a mercadoria. Segundo Leite, depois de cinco dias, os Correios disseram não ter localizado a máquina.

Muitos consumidores lesados são ressarcidos apenas do valor da tarifa postal. Mas o Procon afirma que, em casos graves, pode-se exigir na Justiça indenização por danos morais e materiais. Pelo artigo 22 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), os órgãos públicos são obrigados a fornecer serviços adequados, eficientes e seguros.

Carlos Martins lembra que há alguns anos o Correio foi apontado em uma pesquisa como a empresa estatal de maior confiabilidade do país. Mas, segundo ele, hoje o serviço é muito ruim. “Correspondências não são entregues, há atrasos de encomendas. Até mesmo o Sedex não é mais confiável. Meu cartão de crédito foi devolvido porque não encontraram o endereço. Moro há 9 anos no mesmo local, onde recebo todas as minhas outras contas. Cansei de reclamar pelo site e receber respostas evasivas. Somos vítimas do monopólio postal”, reclama.

Alexandre explica que antes o serviço do Sedex era entregue em 48 horas, hoje o Correio entrega com 4 dias úteis. “Quando o Correio não entregava o Sedex em 48 horas ele deveria pagar uma multa de 200% para o consumidor, hoje essa multa passou para 100%. Quem sai prejudicado é o consumidor, que utiliza este serviço pensando que terá a sua encomenda entregue o quanto antes. “Estão querendo fazer a mesma coisa que fizeram com a Sanecap. Antes todo mundo reclamava que faltava água, daí privatizaram e colocaram a CAB. Hoje ainda continua o mesmo problema só que o consumidor passou a pagar a mais por um serviço que não é entregue com eficiência”, lamentou.

Outro lado
A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa dos Correios e eles informaram que as entregas de correspondências e encomendas estão em dia em Mato Grosso. “Os dados fornecidos pelo Sindicato não têm nenhum embasamento técnico”.

O sistema de Distribuição Domiciliária Alternada (DDA) foi implantado em pequenas unidades, trata-se de projeto de otimização dos processos operacionais na distribuição, observados os prazos de entrega dos objetos. Não há perdas na qualidade operacional. No momento está em avaliação nas unidades onde foi implantado.

Esclarecemos que não se trata de déficit de funcionários. O que ocorre freqüentemente é um dimensionamento, realizado por meio de sistema de distritamento. Levantamento mais recente apontou a necessidade de 70 vagas de carteiros para o Estado, uma vez que esse sistema considera bairros que vão surgindo nas cidades e que atendam as condicionantes da legislação postal, ou seja, ruas identificadas, numeração sequencial e única, sendo par de um lado e ímpar do outro, residências com local apropriado para depósito dos objetos postais e devidamente identificadas com respectivo número para entrega domiciliar.

 

 

 

Fonte GazetaDigital