Mato Grosso, Segunda-Feira, 26 de Julho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
UM

Um dia após operação, Taques convoca reunião com secretários e reafirma tolerância zero à corrupção

Marcia Jordan

04/05/2016 às 10:29

Um dia após operação, Taques convoca reunião com secretários e reafirma tolerância zero à corrupção

627327b4e6de6c81ae6e0d34cbf553f6O governador Pedro Taques (PSDB) convocou todos os secretários para uma reunião de emergência, na manhã de hoje (4).

O assunto principal é a repercussão da Operação Rêmora, deflagrada ontem (3), pelo Gaeco. Ela apura esquema de corrupção dentro da Seduc, sendo a primeira crise enfrentada pelo tucano desde que assumiu o Palácio Paiaguás.
Taques, que estava em Brasília, voltou às pressas para Cuiabá, ontem (3) à noite. Na ocasião, manteve longa conversa com o secretário de Educação Permínio Pinto.

O titular da pasta, após a reunião, decidiu se afastar do posto até que as investigações sejam concluídas. Taques também anunciou a abertura de investigação contra servidores de carreira e a exoneração de Fábio Frigeri.

A decisão acontece porque o nome de Permínio foi citado por empresários na reunião gravada como interessado em uma obra em Alta Floresta. Apesar disso, a juíza da 7ª Vara Criminal, Selma Arruda, que autorizou a deflagração da ação, afirma no despacho que ainda não há indícios suficientes para dizer que o secretário sabia do esquema.

Na reunião de hoje, que ainda acontece, Taques disse aos secretários que não irá tolerar atos de corrupção na sua gestão. Neste momento, os gestores realizam o “alinhamento e a definição de procedimentos” para evitar que situações como essa ocorram na administração.

A tendência é que novas medidas e posturas sejam tomadas por todos os secretários. Acontece que, segundo às investigações, servidores participaram do esquema criminoso por meio da cobrança de propina que era de 5% e, depois, baixou para 3%.
Afastamento

Durante o período em que Permínio ficar afastado das funções, José Arlindo, que é servidor do Ministério Público Federal (MPF), responderá pela Seduc. Arlindo acompanha Taques desde o tempo em que o governador exercia a função de procurador da República. Foi chefe do gabinete no Senado e deixou o cargo em Brasília para assumir o Gabinete de Governo em Mato Grosso.
Operação Rêmora

A Operação Rêmora investiga suposto esquema de direcionamento de licitações e cobrança de propinas sobre obras da Seduc, orçadas em R$ 56 milhões. Segundo o Gaeco, 13 obras foram executadas e outras 13 tiveram o processo licitatório interrompido em razão das suspeitas de fraude.

Nessa terça (3), foram expedidos 39 mandados de prisão, condução coercitiva e busca e apreensão. De acordo com o Gaeco, a organização criminosa era dividida por três núcleos e tinha o envolvimento de agentes públicos e de empresários.

Até o momento, já foram identificadas 29 pessoas com participação direta no esquema. Os agentes públicos envolvidos são Fábio Frigeri, Wander Luiz dos Reis e Moises Dias da Silva. Dos três, apenas Wander Luiz dos Reis ainda não foi preso, pois estaria de férias.

 

 

 

Fonte Rdnews