Mato Grosso, Domingo, 26 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
TJ

TJ nega liberdade a ex-secretário considerado "braço armado" da Sodoma

Marcia Jordan

13/05/2016 às 09:41

TJ nega liberdade a ex-secretário considerado "braço armado" da Sodoma

7ebfb8040f1dacfc02376ac7006cdfd5O desembargador Alberto Ferreira de Souza negou liminar em habeas corpus para conceder liberdade ao ex-secretário adjunto de administração, coronel da Polícia Militar, José Nunes Cordeiro, preso preventivamente pela Polícia Civil na terceira fase da Operação.

O desembargador Alberto Ferreira de Souza negou liminar em habeas corpus para conceder liberdade ao ex-secretário adjunto de administração, coronel da Polícia Militar, José Nunes Cordeiro, preso preventivamente pela Polícia Civil na terceira fase da Operação Sodoma, deflagrada no dia 22 de março.

O magistrado negou o pedido da defesa que sustenta a configuração de constrangimento ilegal na prisão que já ultrapassa 40 dias e não teria tido a fundamentação necessária conforme exigido pela legislação penal em decreto assinado pela juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane Arruda.

Porém, o magistrado destacou que as alegações não se fundamentam. Alberto Ferreira colocou que Cordeiro tinha atuação destacada na “organização criminosa”, chegando a ameaçar empresários. Ele teria exigido R$ 30 mil mensais para o empresário Willians Paulo Mischur e também ameaçado romper contrato com a empresa Webtech Softwares e Serviços. Sodoma, deflagrada no dia 22 de março.

O magistrado negou o pedido da defesa que sustenta a configuração de constrangimento ilegal na prisão que já ultrapassa 40 dias e não teria tido a fundamentação necessária conforme exigido pela legislação penal em decreto assinado pela juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane Arruda.

Porém, o magistrado destacou que as alegações não se fundamentam. Alberto Ferreira colocou que Cordeiro tinha atuação destacada na “organização criminosa”, chegando a ameaçar empresários. Ele teria exigido R$ 30 mil mensais para o empresário Willians Paulo Mischur e também ameaçado romper contrato com a empresa Webtech Softwares e Serviços.

 

 

 

 

Fonte Folhamax