Mato Grosso, Domingo, 25 de Julho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
GESTÃO

Gestão do Hospital Regional de Sorriso será repassada ao Consórcio de Saúde em 90 dias

Marcia Jordan

19/05/2016 às 09:33

Gestão do Hospital Regional de Sorriso será repassada ao Consórcio de Saúde em 90 dias

unnamedA partir de setembro, a administração do Hospital Regional de Sorriso (HRS) será efetivamente de responsabilidade do Consórcio Público de Saúde Vale do Teles Pires, entidade formada pelos 15 municípios da região norte de Mato Grosso.

O prazo faz parte de um cronograma de ações, discutido e estabelecido na manhã de ontem (18), durante reunião com a participação do prefeito de Lucas do Rio Verde e presidente do consórcio, Otaviano Pivetta e do secretário de Estado de Saúde, Eduardo Bermudez.

No cronograma estão estabelecidas datas para a rescisão com a Organização Social (OS), que administrava o hospital antes da intervenção do Estado (02/06), período de transição com a nova gestão e a assinatura do convênio com o consórcio (23/06).

O secretário de Saúde de Mato Grosso, Eduardo Bermudez, explica que apesar de passado mais de oito meses desde a assinatura do convênio, o objetivo do Governo do Estado em relação ao repasse da gestão dos regionais aos municípios, não mudou.

“Estão sendo realizados levantamentos sobre a estrutura do Regional de Sorriso para que seja repassado o comando efetivo ao Consórcio de Saúde, conforme acordo firmado desde o ano passado. Estamos muito confiantes daquilo que o consórcio vai poder fazer pelo Regional.”

Na proposta da nova gestão, os hospitais regionais (Sorriso e Sinop) irão funcionar efetivamente como referência no tratamento de média e alta complexidade, atendendo a população de cerca de 400 mil habitantes dos 15 municípios consorciados.

Hoje, aproximadamente 80% dos atendimentos do Regional de Sorriso são para a população de Sorriso. Segundo o secretário, para garantir os direitos de todos os municípios, o HRS precisa se adequar a esse modelo.

“Os projetos de hospitais regionais já devem iniciar com o trabalho de portas fechadas. O passo que nós temos de dar em relação a Sorriso é que o hospital entre gradativamente nessa linha de referência, para equilibrar os atendimentos nos 15 municípios que participam do consórcio.”

Em relação ao Regional de Sinop, a expectativa do Estado é que o hospital continue por enquanto sobre a administração da Fundação Santo Antônio. Juntos os dois regionais custam aos cofres públicos aproximadamente R$ 10 milhões por mês.

 

 

 

Fonte  Marcello Paulino