Mato Grosso, Segunda-Feira, 26 de Julho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
PRESIDENTE

Presidente do TJ não aceita veto ao RGA

Marcia Jordan

21/05/2016 às 09:02

Presidente do TJ não aceita veto ao RGA

1fa26e28a11a3021d615e4ca90dcc443O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Paulo da Cunha, reagiu a decisão do Executivo de vetar a Revisão Geral Anual (RGA) dos servidores do Poder Judiciário.

O veto foi publicado em Diário Oficial que circulou nesta sexta-feira (20) e assinado pelo vice-governador, Carlos Fávaro (PSD), que estava como governador interino, enquanto o titular, Pedro Taques (PSDB) cumpria agenda nos Estados Unidos.

A justificativa para o veto, conforme publicação, “foi a ausência de interesse público e o um pacto contra a crise, de modo que o esforço deve ser suportado não só pelos servidores do Poder Executivo, pois apenas com o trabalho em conjunto pode ser superada a crise financeira que atinge todo o país”.

O presidente do Tribunal defende que a lei aprovada em abril deste ano está em conformidade com a Constituição. “Tenho total confiança no Parlamento de que o veto será derrubado, disse o desembargador em entrevista ao Gazeta Digital.

 

Taques descartou qualquer tipo de crise institucional pelo fato de o vice-governador Carlos Fávaro (PSD) ter vetado o RGA do Judiciário, enquanto estava no exercício da função de chefe do Paiaguás.

“Quando o Judiciário condena o Estado de Mato Grosso, concede alguma liminar, não cria crise institucional. É um direito do Poder Executivo vetar ou sancionar, está na Constituição”, resumiu.

Derrubada do veto

O deputado estadual Emanuel Pinheiro (PMDB) já adiantou que irá movimentar o parlamento para derrubar a decisão do governo. A derrubada do veto na Assembleia deverá entrar na pauta da próxima terça-feira (24).

Diferente do Executivo, o Judiciário havia anunciado o pagamento integral da perda inflacionária. Paulo da Cunha observou que os servidores do Poder de Mato Grosso têm uma das piores remunerações do país e por isso, considera necessário pagar a RGA.

 

 

Fonte GazetaDigital