Mato Grosso, Terça-Feira, 21 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
ESTADO

Estado confirma seis ataques em Cuiabá e VG; mensagem ameaça governador

Marcia Jordan

11/06/2016 às 09:42

Estado confirma seis ataques em Cuiabá e VG; mensagem ameaça governador

8f2126b1cb3c6e37bd77c0149642651dA cúpula da Segurança Pública de Mato Grosso ainda está fazendo o balanço sobre os atentados ocorridos em Cuiabá e Várzea Grande desde a noite desta sexta-feira (09). Até o momento, eles confirmam seis ataques, sendo três ônibus e um carro incendiados, tiros na casa de um agente penitenciário e também lançamento de coquetel molotov na residência de um sargento da Polícia Militar.

No entanto, o saldo da violência nesta noite pode ser bem maior. Não está contabilizado, por exemplo, o incêndio de uma motocicleta em frente ao Shopping Três Américas e também arrastões e assaltos.

Por exemplo, um grupo de estudantes foi assaltando quando saía de uma faculdade na região central de Cuiabá. Os demais ficaram “ilhados” na instituição e só saíram com a presença da Polícia Militar.

“Até agora só temos esses casos confirmados. Os outros, que estão falando, nós estamos tratando para saber se há ou não alguma ligação com essa ação criminosa que acontece no município”, disse o secretário Rogers Jarbas.
Outros ataques identificados foi a tentativa de invasão da base da Polícia Militar no bairro São Matheus, em Várzea Grande.

Ainda na noite de ontem, uma pessoa foi presa como responsável pelo ataque a um ônibus no bairro Pedra 90. Fabiano Halailthon Rodrigues Souza, conhecido como “Peruca”, de 28 anos, foi preso em sua residência. Um comparsa dele já foi identificado e está sendo procurado.

MENSAGENS

Após os três ataques a ônibus em Cuiabá e Várzea Grande, áudios, via mensagens de Whatsapp, começaram a ser repassados informando que novos atos de violência teriam como alvo as forças policiais estaduais, demais serviços de segurança pública, e até mesmo a pessoa do governador Pedro Taques. Os arquivos estão sendo encaminhados às forças policiais e farão parte das investigações.

A cúpula da segurança investigou o caso e identificou Reginaldo Aparecido Brito, preso na penitenciária do Pascoal Ramos, como autor de algumas mensagens. Reginaldo cumpre pena de mais de 18 anos de prisão.

 

 

 

Fonte Folhamax