Mato Grosso, Terça-Feira, 27 de Julho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
COPA AMÉRICA

Com gol solitário, Chile vence a Bolívia na Arena Pantanal

O gol solitário foi marcado pelo atacante Brereton Díaz.

Da Redação

19/06/2021 às 10:05

Com gol solitário, Chile vence a Bolívia na Arena Pantanal
reprodução

O Chile venceu a Bolívia pelo placar de 1 a 0, nesta sexta-feira (18), na Arena Pantanal, em jogo válido pela segunda rodada da Copa América. O gol solitário foi marcado pelo atacante Brereton Díaz.
 

Primeiro tempo
Como era de se esperar, a equipe chilena começou o jogo pressionando, enquanto a Bolivia se defendia com uma linha de 5 atrás, a fim de atrair o adversário para o campo defensivo e sair em velocidade para o contra-ataque.

Os chilenos jogaram praticamente todas bolas ofensivas pelo lado direito. Charles Aranguiz e Vidal buscavam sempre o veloz Eduardo Vargas. Foi assim que saiu o primeiro gol e as melhores chances da primeira etapa.

Logo aos 4 minutos, a “La Roja”, como é carinhosamente chamada a seleção do Chile, quase abre o placar. Em escanteio batido por Charles Aránguiz, Jean Meneses chicoteou de pé direito e obrigou o goleiro Carlos Lampe fazer uma bela defesa.

Gol do chile 
Aos 9 minutos, após roubada de bola da defesa chilena, Vidal saiu em contra-ataque e apostou na velocidade de Eduardo Vargas pela direita. O atacante viu o companheiro Brereton Díaz passando livre e tocou, o camisa 22 carregou a bola, buscou o melhor ângulo e chutou no canto esquerdo de Lampe: 1 a 0 Chile.


Benjamin Brereton Díaz nasceu na Inglaterra, porém foi naturalizado chileno. O atacante, que atualmente joga no Blackburn Rovers, da Inglaterra, fez a estreia pela seleção sul-americana nesta sexta-feira, e quis o destino que fosse dele o gol da vitória. 

Quase o segundo do chile
Aos 14 minutos, em jogada novamente pela direita, Arturo Vidal cruzou na área e de novo ele, Brereton Díaz, apareceu para cabecear, desta vez o goleiro Lampe fez a defesa.

Só dava Chile no início do primeiro tempo, aos 16 minutos, Erick Pulgar arriscou de fora da área e Lampe trabalhou mais uma vez, mandando a bola para escanteio.

Os chilenos chegaram, e mais uma vez pela direita, Vidal acionou Vargas, o camisa 11 levou a bola e esperou a passagem de Mauricio Isla, o lateral recebeu o passe e tocou para Brereton Díaz, que pegou mascado na bola e chutou no meio do gol, Lampe defendeu.

Na metade do segundo tempo, a equipe chilena já não tinha a mesma imposição física do início da primeira etapa. Com isso, a Bolívia começou a gostar do jogo, arriscando algumas vezes.

O primeiro chute da Bolívia veio aos 26 minutos. Juan Carlos Arce clareou para batida, mas pegou muito mal na bola e isolou.

Na melhor chance do time boliviano da partida, Roberto Fernandéz apareceu sozinho dentro da área, porém bateu mal e a bola saiu pela linha de fundo.

Aos 31 minutos, Vargas se chocou com o zagueiro boliviano e acabou levando a pior. A equipe médica da seleção chilena entrou em campo para prestar assistência ao jogador.

Aos 34, a “La Verde” como é conhecida a Bolívia, chegou novamente. desta vez, a transição rápida de bola encontrou o camisa 16, Saavedra, o atacante pegou mal e chutou no meio do gol, sem problemas para Claudio Bravo.

No lance seguinte, novamente Vargas foi acionado, o jogador disparou e chutou para o gol, Lampe defendeu de joelho e a bola voltou para atacante mais uma vez, porém, no segundo lance o camisa 11 finalizou mal e a bola subiu.

Aos 37, Meneses entrou dentro da área, gingou e chutou de pé esquerdo no contra-pé de Lampe, a bola passou tirando tinta da trave direita.

Aos 42, em cruzamento pela esquerda Vidal subiu mais que a zaga boliviana, mas cebeceou mal e deu a bola de graça para o goleiro Lampe.

Já nos acréscimos, a Bolívia trabalhou bem a bola com Justiniano, que serviu o camisa 20, Ramiro Vaca, o atacante bateu bem e a bola passou raspando o ângulo de Bravo.

A La Roja foi amplamente superior a La Verde. Os chilenos obteveram 65% de bola, já os bolivianos ficaram 35% do tempo com ela no pé.

As jogadas pela direita, ora com Vargas, ora com Isla, ocasionavam muitas chances de gol a equipe. As estatísticas registraram 14 finalizações á favor do Chile, enquanto a Bolívia chutou 5 vezes, sendo apenas uma vez em direção ao gol.

Segundo tempo
A segunda etapa começou e a seleção boliviana colocou o goleiro Bravo para trabalhar logo no primeiro minuto. Saavedra recebeu a bola de Jeyson Chura, chutou de pé direito e o goleiro chileno defendeu. No lance seguinte, foi a vez de Eduardo Vargas receber passe do lateral Isla e chutar no meio do gol, sem problemas para Lampe.

O camisa 13, Erick Pulgar, saia em velocidade pela direita, porém sofreu falta dura de Ramiro Vaca. O jogador recebeu cartão amarelo.

No minuto 11, o experiente Arce achou Saavedra dentro da área, o atacante chutou e obrigou Bravo mandar a bola para escanteio.

As primeiras substituições da partida foram feitas aos 19 minutos da segunda etapa. Pelo lado do Chile, Pinares entrou no lugar de Meneses. Já o técnico César Farias trocou Jeyson Chura por Ramallo.

Pinares entrou e logo no primeiro lance fez um belo cruzamento para Maripán, o zagueiro subiu e cabeceou na direção do centro do gol, Lampe defendeu.

A seleção boliviana voltou melhor depois do intervalo e o técnico do Chile, Martín Lasarte não estava nada satisfeito com o que via dentro de campo. Por isso, substituiu Vidal por Tomas Alarcón, visando dar mais qualidade na transição de bola do time. Vidal saiu esbravejando ao ser substituído e até jogou a atadura do braço no chão.

Aos 30 minutos, em troca de passes rápida dos chilenos, Isla cruzou dentro da área encontrou Mena, que subiu e cabeceou no meio do gol, Lampe encaixou a bola.

A Bolivia realizou mais uma substituição aos 33 minutos. Desta vez, Saavedra deu lugar para Enrique Flores na equipe.

No minuto 35, a Bolívia quase faz o gol de empate na Arena Pantanal. Ramallo deu assistência para Bejarano, que no meio da área chutou, mas a bola desviou em Maripán e passou muito perto do gol de Bravo.

Aos 36, Maripán recebeu cartão amarelo por entrada perigosa em Ramallo.O Chile mexeu no elenco novamente aos 39 minutos. Pablo Aránguiz entrou no lugar do autor do único gol da partida, Brereton Díaz.

Aos 42 minutos, mais um jogador boliviano foi amarelado. Bejarano recebeu cartão após falta em Mena.

Já nos acréscimos, ainda deu tempo para a La Verde realizar mais duas trocas no plantel. Entraram Dany Berarano e Villarroel nos lugares de Justiniano e Ramiro Vaca, respectivamente.

O jogo foi se aproximando do fim e o cansaço dos jogadores era visível. Com um tempo melhor para cada equipe, os chilenos conseguiram serem mais eficientes e o segundo tempo terminou da mesma forma que terminou primeiro: Chile 1 x 0 Bolívia.

Com o resultado, os chilenos subiram na tabela e ocupam a liderança com 4 pontos. Do outro lado, os bolivianos permanecem na lanterna, com nenhum ponto conquistado.

As duas seleções permanecem na capital, para enfentar o Uruguai nas próximas rodadas da competição, mudando apenas a data do confronto. O jogo do Chile está marcado para segunda-feira (21). Já os bolivianos  descansam na próxima rodada e encaram os uruguais somente na próxima quinta-feira (24).

 

 

Por Fernando Soares, especial para GD