Mato Grosso, Terça-Feira, 27 de Julho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
CERCO AO NOVP CANGAÇO

Família afirma que empresário foi morto por engano pelo Bope em cerco ao Novo Cangaço

Luiz Miguel Melek, de 40, não tem passagens pela polícia

Da Redação

12/06/2021 às 10:08

Família afirma que empresário foi morto por engano pelo Bope em cerco ao Novo Cangaço
Reprodução

A família de Luiz Miguel Melek, um dos homens mortos em um confronto com o Bope (Batalhão de Operações Especiais) em Nova Bandeirantes (a 1.026 km de Cuiabá), afirmou que ele não fazia parte da quadrilha que roubou duas cooperativas de crédito no Município.

O irmão dele, Edvaldo Melek, contou que os dois são sócios de uma empresa de motos em Alta Floresta ( a 815 km de Cuiabá) e que Luiz Miguel teria ido até Nova Bandeirantes entregar óleo para um garimpo.

O assalto ocorreu na segunda-feira (7). Já o confronto, na quinta-feira (11). 

"Jamais o meu irmão teria envolvimento com coisa desse tipo. O povo de Alta Floresta conhece o meu irmão, vê o tanto que a gente trabalha. Não tem explicação”, disse Edvaldo em entrevista à TV Nativa Alta Floresta, afiliada da TV Record.

Além de Luiz Miguel, que tem 40 anos, foram mortos Romário de Oliveira Batista, de 35, e Maciel Gomes de Oliveira, de 37.

As identidades deles foram reveladas pela polícia na tarde desta sexta-feira (11). Ao contrário de Romário e Maciel, a polícia informou que Luiz Miguel não tem passagens.

Muito emocionado, Edvaldo afirmou que o irmão nunca teve envolvimento com nada ilícito. “Aí você vê na internet o povo falando que ele é bandido. Não é bandido, não!”, afirmou, chorando.

 

 

Por Thayza Assunção