Mato Grosso, Quarta-Feira, 16 de Junho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
SINDICALISTAS

Sindicalistas rejeitam a 4ª proposta do governo

Marcia Jordan

15/06/2016 às 07:29

Sindicalistas rejeitam a 4ª proposta do governo

14f38988850cefee3bf2092cfd89a95dO Fórum Sindical, que representa 32 categorias, rejeitou a 4ª proposta do governo apresentada nesta terça-feira (14) em garante os 5,28% da Revisão Geral Anual (RGA) de 2016, por meio de uma minuta do Projeto de Lei que prevê o parcelamento.

No documento, além dos 6% parcelados em três vezes, o executivo havia proposto pagar os 5,28%, em duas vezes, sendo a primeira parcela em maio e a segunda em setembro de 20107.

“Já encaminhamos a contraproposta ao Executivo e não aceitamos parcelamento. Os servidores não aceitam parcelamento de qualquer forma. Outros poderes tem dinheiro para pagar, então, que este governador que pague o nosso direito”, disse o porta voz do Fórum Sindical e presidente Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde e do Meio Ambiente do Estado de Mato Grosso (Sisma), Oscarlino Alves.

O sindicalista alega que as classes já querem discutir a garantia da RGA de 2017. “Queremos garantir nosso direito de 2017 e acompanhar a Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) e Lei Orçamentária Anual (LOA), para que não ocorra a mesma situação deste ano, pois alguns deputados falam que houve previsão, outros não”.

Ele acha que o governo acabará cedendo a pressão, pois, a proposta inicial era ‘zero’. “Antes não havia proposta alguma, agora estamos na 4º. Então que o governo pague a integralidade”.

Os servidores estão protestando desde o último dia 31 de março. E nesta terça, cerca de 5 mil servidores (dados do Fórum Sindical) estão protestando no Centro Político Administrativo (CPA).
Veja outras propostas já rejeitadas

Primeira proposta

Foi feita pela equipe de Taques dia 30 de maio na intenção de travar a greve.
A oferta era de de 5% dos 11,28% da recomposição salarial da inflação de 2015. A primeira parcela, de 2%, seria em setembro e os outros 3% em janeiro de 2017.

Segunda proposta

Foi feita pelo Governo dia 2 de maio.
A intenção seria pagar 6% dos 11,28% da recomposição salarial da inflação de 2015. Sendo 2% em setembro, e 2% em janeiro de 2017 e os outros 2% em março. Os servidores aceitaram os parcelamentos mas desde que fossem para este ano ainda.

Teceira proposta

Foi feita na última sexta-feira (10).
Agora o Governo oferece 6%, mas, dependendo da receita, pode chegar a 11,28%, deixando o restante do reajuste em aberto.

 

 

 

Fonte Gazetadigital