Mato Grosso, Domingo, 5 de Abril de 2020
Logo Só Informação
Informe Publicitário
GUERRA AO CORONAVIRUS

Justiça cita coronavírus e bloqueia R$ 2,5 mi do Estado para pagar hospital

Magistrado se diz perplexo com inércia da secretaria de Saúde

Da Redação

19/03/2020 às 08:23

Justiça cita coronavírus e bloqueia R$ 2,5 mi do Estado para pagar hospital
reprodução

O juiz da Vara da Fazenda Pública de Sinop (500 KM de Cuiabá), Mirko Vincenzo Giannotte, determinou o bloqueio de mais de R$ 2,5 milhões do Governo do Estado para pagar a Fundação de Saúde Comunitária de Sinop. A organização social de saúde (OSS) realiza a gestão do Hospital Regional do município do norte de Mato Grosso.

==A decisão do juiz foi proferida nesta terça-feira (17). A Fundação de Saúde Comunitária de Sinop vem cobrando desde o ano de 2018 por pagamentos do Governo do Estado que estariam em atraso desde a gestão do ex-governador Pedro Taques (PSDB).

O valor de R$ 2,5 milhões refere-se ao meses de novembro e dezembro de 2019 que ainda não foram pagos. “Novamente, é espantosa a inércia estatal, a qual, na atualidade, deixa este magistrado ainda mais perplexo, na medida em que, com o avanço da COVID-19 (Coronavírus), a saúde financeira dos hospitais é corolário para o atendimento de pacientes, especialmente no âmbito do Sistema Público de Saúde!”, advertiu o juiz da comarca de Sinop.

Mirko Vincenzo Giannotte determinou ainda que eventuais serviços que estejam paralisados sejam “imediatamente restabelecidos”. A unidade de saúde pública atende cidades importantes de Mato Grosso – além de Sinop, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Vera e outras.

A Fundação de Saúde Comunitária de Sinop começou a prestar o serviço no Hospital Regional em agosto de 2018. O contrato inicial tinha vigência mínima prevista para 36 meses.

CORONAVIRUS

Na última segunda-feira (16), o governador Mauro Mendes (DEM) publicou um decreto com uma série de medidas para conter a contaminação do Covid-19. Um caso da doença, que ataca o sistema respiratório, foi confirmado por uma unidade de saúde particular de Cuiabá. O Poder Público, porém, ainda espera uma contraprova do exame, que foi encaminhada a um laboratório no Estado de São Paulo, credenciado pelo Ministério da Saúde, para a realização do teste.

Entre as medidas adotadas por Mendes estão a suspensão das aulas na rede estadual de ensino, a suspensão de eventos com mais de 200 pessoas, a proibição de afastamento dos servidores da Saúde e Segurança Pública, além de outras ações. Vacinas contra a doenças começaram a ser desenvolvidas na Rússia e nos Estados Unidos.