Mato Grosso, Domingo, 25 de Julho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
PAI

Pai acusa PMs de tentar extorquir filho antes de mortes no CPA

Marcia Jordan

02/08/2016 às 21:10

Pai acusa PMs de tentar extorquir filho antes de mortes no CPA

20e92cf34e1bed53674cb12db1127054O líder comunitário Carlos Alberto de Oliveira, pai de dois suspeitos de terem assassinado o policial militar Elcio Ramos Leite, de 29 anos, na tarde desta terça-feira (2), saiu em defesa dos filhos numa entrevista no local do crime e acusou a vítima de extorsão. O assassinato de Elcio ocorreu na casa do suspeito, onde funciona ainda uma distribuidora de água.

“Kaká”, como é conhecido o pai dos suspeitos, afirmou que recebeu telefonema do filho, que relatou a tentativa de extorsão de Élcio e outro PM qu estariam no veículo Citroen C$ prata. “Recebi uma ligação estranha do meu filho. Ele disse: pai, tem dois caras se dizendo policiais e estão pedindo dinheiro para mim. Eu disse: não dá que estou chegando aí, e desliguei o telefone”, contou.

Ele detalhou que cerca de quatro minutos depois recebeu outro telefonema, de seu outro filho relatando o assassinato. “Ele ligou de volta e falou: pai, tomei a arma dele e dei um tiro nele. Ele era policial mesmo e dei um tiro nele. Como estavam em dois, acredito que o outro filho também aloitou com outro policial”, assinalou.

O líder comunitário colocou que a ação de seu filho foi motivada pela conduta dos policiais, que considerou inadequada. “Se esses dois policiais não viessem aqui de forma arbitrária, tentar tomar algo que não é deles, meu filho não teria cometido essa tragédia”, disse.

“Kaká” reforçou a tentativa de extorsão por parte de policiais militares. “Eles vieram buscar um dinheiro que meu filho tinha. Meu filho trabalha, tem o dinheiro dele. A gente mexe com distribuidora aqui”, contou, sem especificar o suposto motivo que levou os policiais a pedirem dinheiro aos seus filhos.

TRAGÉDIA

O soldado da PM, Elcio Ramos Leite, morreu a caminho da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Morada do Ouro, após ser atingido por um disparo de arma de fogo na cabeça. A Polícia Militar fez rondas pela região e conseguiu localizar os dois rapazes, de identidade ainda não reveladas.

Os dois são filhos de “Kaká”. Carlos Oliveira Júnior foi detido nas proximidades do local do crime e André Luiz Oliveira acabou morrendo durante o confronto na região da Morada do Ouro.

 

 

Fonte Folhamax