Mato Grosso, Terça-Feira, 25 de Fevereiro de 2020
Logo Só Informação
Informe Publicitário
DEFINIÇÃO TUCANA

PSDB lança Nilson Leitão para disputar vaga de Selma

Nilson Leitão recebeu mais de 330 mil votos na eleição de 2018

Da Redação

11/01/2020 às 10:09

PSDB lança Nilson Leitão para disputar vaga de Selma
reprodução

O deputado Carlos Avalone (PSDB) anunciou o ex-deputado federal Nilson Leitão (PSDB) como o candidato da sigla para concorrer a eleição suplementar ao Senado após a cassação da senadora Selma Arruda (Podemos). De acordo com o parlamentar, já havia uma decisão majoritária da executiva do partido para que Leitão disputasse o pleito. 

“Havia a intenção de outros dois concorrentes. Um o prefeito de Cáceres, o Francis Maris, e um vereador de Rondonópolis. Houve uma conversa entre todos. Os dois entenderam que ele [Nilson Leitão] está disposto ser candidato. Era normal que com o cancelamento dessa eleição, ele tivesse a oportunidade de colocar o nome dele”, explicou.

Em 2018, Nilson Leitão concorreu a eleição ao Senado e ficou na quinta colacação, ao receber mais de 330 mil votos. Outros nomes que disputaram a eleição, como Carlos Fávaro (PSD), Adilton Sachetti (PRB) e a ex-reitora da UFMT, Maria Lúcia Neder (PCdoB) também admitem disputar novamente o cargo.

Selma perdeu a cadeira no Senado após a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que por 7 votos a 0 no dia 10 de dezembro, reconheceu a denúncia por prática de caixa dois e abuso de poder econômico, além de propaganda extemporânea durante a pré-campanha, ao contratar com uma empresa de publicidade com valores acima de sua capacidade financeira. 

Para o Ministério Público Federal, as apurações e a quebra de sigilo bancário da senadora e seus suplentes comprovaram que a ex-juíza contraiu despesas de natureza tipicamente eleitoral de, no mínimo, R$ 1,2 milhão.

Desde que a cassação de Selma foi oficializada pela Justiça Eleitoral, cerca de 20 nomes já foram cotados para a disputa. Entre eles, o vice-governador Otaviano Olavo Pivetta (PDT), o ex-governador Júlio Campos (DEM), o deputado estadual Dilmar Dal'Bosco (DEM), o chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, e a prefeita de Várzea Grande,  Lucimar Campos (DEM).

A data da nova eleição será definida pelo TRE de Mato Grosso no dia 22 de janeiro, mas a equipe técnica da corte sugeriu o dia 26 de abril.

CADEIRA VAZIA

Nesta terça-feira (7), o governador Mauro Mendes (DEM) entrou com interpôs no Supremo Tribunal Federal (STF) uma ação solicitando que o 3º colocado nas eleições de 2018 ao Senado, Carlos Fávaro (PSD), assuma interinamente a vaga deixada por Selma Arruda até a realização de novas eleições.

De acordo com Mendes, o Estado não pode ficar sem representatividade no Congresso. A decisão será proferida pelo ministro e presidente do STF, Dias Toffoli, que deve analisar o pedido nos próximos dias.