Mato Grosso, Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019
Logo Só Informação
Informe Publicitário
IDENTIFICADO PELA INTERNET

Pesquisadora aponta existência de grupo nazista em Rondonópolis

Entre eles, existem pelo menos 17 movimentos que se dividem entre hitleristas

Da Redação

18/11/2019 às 19:57

 Pesquisadora aponta existência de grupo nazista em Rondonópolis
reprodução

Pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Adriana Abreu Magalhães Dias, apontou a existência de um grupo nazista em Rondonópolis. Denominadas "células", pesquisa identificou ao menos 334 grupos que compactuam com o movimento fascista existentes em todo o país.

Entre eles, existem pelo menos 17 movimentos que se dividem entre hitleristas, supremacistas e até mesmo adeptos do Ku Klux Klan, movimentos que defendem a supremacia branca, o nacionalismo branco e a anti-imigração. 

Atividade foi tema de matéria nacional no site UOL, que descobriu que o estado com mais células é São Paulo, com 99 grupos, seguido por Santa Catarina, com 69, Paraná, com 66, e Rio Grande do Sul, com 47. 

Apesar da predominância em estados do sul e sudeste, existem grupos em cidades como Ceará e Paraíba, no Norte. Em Goiás, no Centro-Oeste, por exemplo, aponta-se a existência de pelo menos 6 grupos em todo o estado. 

"Normalmente, no Brasil, as células não se conhecem, não se conectam, a não ser as grandes. São grupos de pessoas que conversam, que se reúnem, e eu localizei essas reuniões por sites na internet, blogs ou fóruns. Nenhum deles tem uma corrente única. Eles leem autores que, pelo mundo, brigam um com o outro", explicou Magalhães ao blog.