Mato Grosso, Quinta-Feira, 23 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
JUIZ

Juiz vê irregularidade em material de Rosana e exige recolhimento em 48 horas

Marcia Jordan

30/08/2016 às 20:09

Juiz vê irregularidade em material de Rosana e exige recolhimento em 48 horas

EG_t3sojpl2mrhoczkeioterp3bme7pyck2gi8lb1u9hbdvpfk0O juiz eleitoral Cleber Luiz Zeferino de Paula determinou imediata retirada de circulação de materiais da candidata a prefeita de Sinop, Rosana Martinelli (PR). De acordo com o juiz, Rosana comete irregularidade ao fazer adesivos em formatos de corações, sem os nomes dela e do candidato a vice-prefeito, Gilson Oliveira (PMDB).

O magistrado também pede para que a republicana apresente em Cartório, no prazo de 48 horas, toda a tiragem de ambos os adesivos irregulares, e caso não o faça, a Justiça será obrigada a cumprir um mandado de busca e apreensão do material.

Outras irregularidades

Essa é a terceira derrota na justiça eleitoral de Rosana Martinelli. Nesta semana o juiz da 32ª Zona Eleitoral de Sinop, João Guerra, aceitou uma ação cautelar para produção antecipada de provas contra o prefeito de Sinop, Juarez Costa (PMDB) e a candidata Rosana Martinelli (PR), atual vice-prefeita do município, por uso da máquina pública em prol da republicana.

De acordo com a cautelar, quando a coligação ‘Amor Por Sinop’, que é encabeçada por Rosana, ingressou com pedido de impugnação ao registro de candidatura do candidato Roberto Dorner (PSD), apresentou como documento a Razão Analítico de Credores da prefeitura Municipal de Sinop, emitido em 18 de agosto de 2016, às 09:09:55, o qual só pode ter sido obtido no âmbito da administração pública por intermédio da utilização de senha para acesso ao sistema.

O juiz também concedeu uma cautelar, para que Rosana e Juarez apresentem os gastos com publicidade dos meses de janeiro a junho dos anos de 2013, 2014, 2015 e 2016.

Pois, conforme a legislação, o Poder Público – no caso a Prefeitura de Sinop – não poderia ter gasto no primeiro semestre deste ano, valor superior à média dos primeiros semestres dos três últimos anos, sob pena de configuração de conduta vedada, que pode ensejar desde a aplicação de multa, até a cassação do registro de candidatura.

 

 

 

Fonte Assessoria