Mato Grosso, Sábado, 18 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
ROBERTO

Roberto Dorner quer ‘força-tarefa’ para regularizar assentamentos irregulares

Marcia Jordan

06/09/2016 às 19:18

Roberto Dorner quer ‘força-tarefa’ para regularizar assentamentos irregulares

14045536_1094252780628156_4047577853086308046_nO candidato a prefeito de Sinop, Roberto Dorner (PSD), se reuniu com diversos moradores do município, que ainda não tiveram seus imóveis regularizados, para avaliar o problema e traçar estratégias de atuação na regularização da habitação. Ele quer tratar desse tema como prioridade

“Eu ando pelos bairros e vejo o drama das famílias que precisam muito de um lar e vivem o medo constante do despejo”, disse Roberto Dorner.

Ele se comprometeu com a comunidade a realizar tudo o que estiver ao seu alcance enquanto prefeito, caso eleito, para garantir a tranquilidade das famílias.

“Nós temos que fazer um levantamento de quantas pessoas passam por este problema e resolver. Não é um favor, é uma obrigação. A prefeitura deve ter controle dos bairros que tem. Com isso todos ganham, a administração pública também passa a arrecadar e poder investir nessas regiões”, afirmou.

Há mais de 20 anos, o autônomo Idelbrando Ferreira luta pela regularização da tão sonhada casa própria. Morador do bairro Chácara Tapajós, ele conta que ainda vive assombrado com a possibilidade de perder o lar.

“Assim como eu, mais de 50 famílias daqui vivem com este fantasma. Muita gente já prometeu várias vezes regularizar a nossa situação mas nada muda. Nós precisamos de Roberto Dorner pois ele tem vontade de fazer as coisas para a cidade, trabalha de verdade, e não fica só falando bonito”, desabafou.

A dona de casa Janete Covalesk, moradora da comunidade há 10 anos, lembrou que os representantes dos moradores já procuraram a prefeitura diversas vezes e em muitas delas nem sequer foram atendidos.

“Parece que a prefeitura não foi feita para atender a população, você chega lá e nem é recebida. Podemos não pagar o IPTU, porque não temos o documento da casa, mas pagamos muitos outros impostos, somos moradores desta cidade e precisamos de mais respeito”, declarou.

Assim como a comunidade Tapajós, mais de 700 famílias ainda aguardam pelo processo de regularização, como a Chácara Planalto, Jardim Boa Vista, Chácara Monalisa, Chácara Adalgisa, entre outros.

 

 

Fonte Assessoria