Mato Grosso, Sexta-Feira, 17 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
SORRISO:

Sorriso: casal é detido ao receber encomenda de ecstasy pelos Correios

Marcia Jordan

13/10/2016 às 21:13

Sorriso: casal é detido ao receber encomenda de ecstasy pelos Correios

250351476392166Uma encomenda de ecstasy, com cerca de 100 comprimidos, foi enviada à agência dos Correios de Sorriso, localizada na rua Eurico Dutra, próxima à Prefeitura, no centro. A destinatária, uma adolescente, de 17 anos, foi monitorada pela Polícia Federal e detida em flagrante nesta tarde. O namorado dela também foi preso.

Segundo o delegado da Polícia Judiciária Civil (PJC) Bruno Abreu, a droga foi recebida pela jovem.

Após assinar o documento para recebimento da encomenda, a adolescente foi pega em flagrante e autuada por tráfico de drogas.

Famoso por vídeo no CQC

À polícia ela contou que os comprimidos de ecstasy também foram encomendados pelo namorado, Vanderley Marques da Silva Júnior, de 25 anos, conhecido como “Fala Fino”.

O rapaz já foi destaque em uma reportagem do antigo programa Custe o Que Custar (CQC), depois de ele se envolver em um acidente em Sorriso. O jovem ficou conhecido após a reportagem feita pela TV Sorriso. (Veja AQUI).

Em diligências, a PJC conseguiu encontrar o namorado da jovem na casa dele. O acusado foi detido por tráfico de entorpecentes e associação ao tráfico.

A suspeita é de que a adolescente não soubesse que na encomenda houvesse droga e caiu em uma armação do namorado.

Vanderley, porém, disse que trabalha em uma distribuidora e nega que o entorpecente foi encomendado por ele.

As duas versões serão apuradas.

Denúncia

A denúncia sobre a encomenda de ecstasy foi feita pelos Correios de Várzea Grande.

A droga foi enviada por Marcos Antônio, de Paranaguá (PR), conforme checagem do CEP.

Segundo o delegado, o ecstasy abasteceria Sorriso, Lucas do Rio Verde e Sinop. “Ela recebeu [a encomenda] e seria repassada ao namorado. Essa droga sintética, que é cara, vem sendo bastante usada por consumidores específicos. Ela não é só consumida em festa eletrônica. É vendida dentro e fora das festas e até mesmo em bares e boates”, disse Bruno Abreu.

 

 

Fonte Portal Sorriso