Mato Grosso, Segunda-Feira, 26 de Julho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
MUTIRÃO

Mutirão de regularização civil é realizado na unidade penal de Sorriso

Marcia Jordan

27/10/2016 às 08:04

Mutirão de regularização civil é realizado na unidade penal de Sorriso

sorriso sejudhPromover e garantir a ressocialização de recuperandos assistidos pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh-MT). Este é um dos principais trabalhos realizado pelo governo estadual para garantir o retorno destes cidadãos ao convívio social. No Centro de Ressocialização de Sorriso, foi promovido um mutirão visando a regularização civil e profissional.

Os recuperandos beneficiados com a ação poderão realizar empréstimo na Caixa Econômica de até R$ 4.000,00 mil reais, ato que ele só executar quando estiver em liberdade; contribuirão com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e terão direito a comercialização em feiras do artesão.

A iniciativa, que partiu da psicóloga do Centro, Thayla Souza, efetivou a entrega de documentos como registro civil, carteira de trabalho e certidão de nascimento aos recuperandos, que também participam de oficinas de artesanato no local. O defensor público Antônio Góes de Araújo, que atua na comarca de Sorriso, participou do evento.

O projeto “Artesanato, Saúde Mental e Ressocialização: Geração de Renda através da Profissionalização do recuperando por meio da Carteira Nacional de Artesão” já foi realizado em outras localidades do Estado, como Peixoto de Azevedo e Colíder. “Desde 2014 que a Sejudh-MT participa do programa.

“Além de servir como terapia ocupacional, os recuperandos tem sua pena diminuída, geração de renda e trabalho exposto. Agora, com a Carteira de Artesão, eles ainda poderão participar da comercialização de suas obras em feiras específicas de artesanato”, conta o adjunto de Administração Penitenciária (Saap), Fernando Lopes.

De acordo com a psicóloga, a ação visa ainda “potencializar o sentimento de valorização, esperança, utilidade, autonomia e protagonismo destes cidadãos, além de reforçar possibilidades de criação, reintegração social, resgate de cidadania, geração de renda, fortalecimento de vínculos sociais e familiares”.

“O papel da Defensoria Pública na esfera criminal vai além da atuação judicial, significando também a valorização do cidadão, que precisa ser lembrado como ser humano em seu processo de ressocialização”, declarou o defensor.

Participaram do evento, além do Defensor Antônio Góes e da psicóloga Thayla Souza, com a presença do diretor da unidade, Moacir Mota, e de professores da Escola Estadual Nova Chance, criada a partir de uma cooperação entre a Sejudh-MT e a Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Seduc).