Mato Grosso, Terça-Feira, 21 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
SORRISO:

Sorriso: jovem acusada de chefiar Comando Vermelho na região é presa pela Polícia Civil

Marcia Jordan

06/12/2016 às 13:00

Sorriso: jovem acusada de chefiar Comando Vermelho na região é presa pela Polícia Civil

Mariana Reis Moscatelli de Cavalho, acusada de chefiar uma organização criminosa em Sorriso e região foi presa, na manhã de ontem (5), em Sinop.

Ela é suspeita de integrar a facção Comando Vermelho, uma das maiores do Brasil, mais conhecida pelas sigla CV.

Segundo a polícia, a investigação estava em curso desde o mês de julho deste ano.

Em uma carta apreendida consta que a jovem recrutava criminosos de outras cidade do estado para se tornarem membros do Comando Vermelho.

Até mesmo quando foi presa, a jovem tirou fotos exibindo a sigla CV para postá-las em redes sociais.

De acordo com o delegado Bruno Abreu, Mariana é traficante diária de drogas em Sorriso, lidera uma organização criminosa e acolhe bandidos de outras cidades para praticarem crimes no município. Um minucioso relatório policial aponta a dermacação de território da organização criminosa.

“Paralelamente correu investigação de tráfico de drogas dessa suspeita. Ficou claramente evidenciado nas escutas que ela é líder de organização criminosa na cidade e pratica tráfico de drogas diariamente. Inclusive, ela chegou a abrir bocas de fumo em cidades mais próximas, onde não tem efetivo da cidade alto”.

Policiais ameaçados de morte

Ainda segundo o delegado, a PJC estava ciente de que a jovem receberiam cartas. Duas delas foram interceptadas. “Está 100% provada a liderança dela de uma organização criminosa na cidade. Nessa carta integrantes dessa organização eles pedem autorização dela para não só para entrar no crime na cidade como pedem autorização para a prática de crimes. Ela diz o quando e o si dos crimes. Além de tráfico de drogas, liderança de organização criminosa, ela dá guarita a traficante e assaltantes de outras cidades. Dá comida e casa para elementos que já tiveram diversas passagens”.

Conforme consta no relatório policial, a quadrilha segue uma lista de artigos e um deles “decreta pena de morte para policiais”

 

 

Fonte Luana Rodrigues