Mato Grosso, Segunda-Feira, 26 de Julho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
JUÍZA

Juíza ouve testemunhas de defesa; empresário deve “implodir” MT no dia 15

Marcia Jordan

28/11/2016 às 09:00

Juíza ouve testemunhas de defesa; empresário deve “implodir” MT no dia 15

A juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane Santos Arruda, irá ouvir no próximo dia 15 de dezembro, às 13h30, o depoimento do empresário Giovani Belatto Guizardi, preso desde maio deste na primeira fase da “Operação Rêmora”.

Ele é apontado como operador do esquema de fraudes em licitações na secretaria de Educação, Esportes e Lazer de Mato Grosso no valor de R$ 56 milhões para reforma e construção de colégios.

O depoimento de Guizardi já é aguardado com expectativa. Preso há mais seis meses, o empresário deixou o Centro de Custódia de Cuaibá e foi para o SOE (Serviços de Operações Especiais) após ter supostamente fechado um acordo de colaboração premiada.

Além de confessar à magistrada sua participação nos crimes, o empresário deve revelar novos personagens. Aliás, se comenta nos bastidores de que o Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) deve deflagrar nos próximos dias a terceira fase da “Operação Rêmora” com base nas declarações de Guizardi.

Também no dia 15 do mês que vem, a magistrada irá colher o depoimento do ex-secretário Permínio Pinto, que está preso desde julho na segunda fase da “Operação Rêmora” que foi chamada de “Locus Delicit”. Neste mesmo dia, também irá prestar esclarecimentos o réu Juliano Jorge Haddad, que responde a ação em liberdade.

Nesta segunda-feira, às 13h30, a juíza Selma Rosane Santos Arruda inicia a colher os depoimentos das testemunhas de defesas dos sete réus no processo. Noutra ação, foram denunciados 22 empresários suspeitos de integrar o quartel de licitações na pasta. Serão ouvidas as testemunhas Jessica Cristina de Lima Rodrigues, Adriano Cesar da Silva Barreto, Eva Cristiane de Assis Sampaio, Yumi Julia Matsubara Pereira, Nayara Yamamura Rios, João Bosco Correa da Costa, Luiz Jordão Marquetti Vivan, Durval Sanches Sanches, Alessandra da Silva Arantes de Oliveira, Fábio de Castro Gomide.

Na terça, serão ouvidas as testemunhas arroladas pelo ex-assessor especial da Seduc, Fábio Frigeri, que está preso desde maio no CCC: Patrícia Medeiros Montefusco, Caroline Maria Campos Muzzi e Viviane Saggin. Já o ex-superintendente de Infraestrutura Escolar, Wander Luiz dos Reis, que foi solto em outubro, indicou Douglas de Jesus Araújo, Benedito Ferraz Júnior, Cleyton Marcelo Roteski e Géssica Lima.

As oitivas agendadas para terça eram para ocorrer na sexta (25). No entanto, devido a paralisação dos agentes prisionais, a ida de Frigeri ao Fórum foi impossibilitada. Para não alegar cerceamento de defesa, a magistrada decidiu adiar a oitiva.

Também na terça-feira, a magistrada ouvirá as testemunhas do empresário Luiz Fernando da Costa Rondon, que são Ademir de Melo Nogueira, Itamar Zeiton e Valdecir Francisco Pinto.

No dia 1º de dezembro, o empresário Giovani Guizardi indicou as testemunhas Zenildo Pinto de Castro Filho, José Carlos Ferreira da Silva, Mário Roberto Candia de Figueiredo, Francisco Miotto Ferreira, Marcelo Costa Sortica de Souza, José Irineu Fiacadori, Márcio Oliveira Aguiar, Jan Cesar de Arruda Asckar, João Bosco Correa da Costa e Carolina Curvo. A maioria dos que serão ouvidos tem empresas de construção civil.

No dia seguinte, estão agendadas as oitivas Gilberto Fraga Mello, Amanda Pinheiro Sotolani, João Bosco, Debora Vilar, Jorge Willian Moreira, Ivan Monteazano Júnior, Ana Karoline Eugenio, Juliana Nogueira Ferreira, Orlando da Silva Correa Júnior, Fábio Luiz Joaquim Regis e Nizete Lenir da Silva Costa.
Já os réus Luiz Fernando da Costa Rondon, Fábio Frigeri, Wander Luiz dos Reis e Moisés Dias da Silva depõe no dia 12.

 

 

 

Fonte  Folhamax