Mato Grosso, Terça-Feira, 12 de Novembro de 2019
Logo Só Informação
Informe Publicitário
LUCAS

Lucas do Rio Verde está entre os 14 municípios com maior qualidade em saúde pública do Brasil

Marcia Jordan

04/06/2014 às 06:42

Lucas do Rio Verde está entre os 14 municípios com maior qualidade em saúde pública do Brasil

Lucas do Rio Verde ocupa a primeira posição do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) com 0,8839 ponto em Mato Grosso e é 14ª colocada no ranking nacional, a melhor colocação do Estado até agora. O município deu um salto de 46 posições. O IFDM foi criado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) para acompanhar a evolução dos 5.565 municípios brasileiros, considerando os seguintes segmentos: Educação, Saúde, Emprego e Renda. 

Lucas do Rio Verde tem entre os seus melhores indicadores o IFDM de Saúde, acima de 0,880 ponto. Conforme a série histórica da Firjan, desde 2005, Lucas apresenta uma trajetória ascendente ano a ano. O IFDM avalia as condições de Educação, Saúde, Emprego e Renda de todos os municípios brasileiros. O índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) para classificar o nível de cada cidade em quatro categorias: baixo (de 0 a 0,4), regular (0,4001 a 0,6), moderado (de 0,6001 a 0,8) e alto (0,8001 a 1) desenvolvimento. 

Para a gestão municipal, esses números confirmam que a saúde pública pode ser modelo de referência e pode funcionar. Em Lucas, a administração está conseguindo fazer a lição de casa, esse número da Firjan, confirma que a administração está no caminho certo.

Hoje a administração de Lucas do Rio Verde busca juntos aos profissionais e colaboradores do poder público excelência na gestão e em contrapartida vem investindo mais do que preconiza a lei nas pastas de educação e saúde. Ser destaque nesses setores dá ao executivo mais responsabilidade de continuar avançando.

Nesta edição, a região Centro-Oeste foi a terceira mais desenvolvida do país, já que possui 77,9% dos seus municípios com IFDM superior a 0,6 ponto, percentual próximo ao observado no Sudeste. 

Conforme a Firjan, a região tem reduzido suas diferenças em relação às duas regiões líderes no estudo (Sul e Sudeste), por conta dos avanços no mercado de trabalho via ascensão do agronegócio, e das melhorias na Educação e na Saúde. 

 

Fonte Redação com Assessoria