Mato Grosso, Quinta-Feira, 23 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
SIMPÓSIO

Simpósio em Mato Grosso discute a recuperação de pastagens

Marcia Jordan

11/10/2016 às 07:29

Simpósio em Mato Grosso discute a recuperação de pastagens

De 13 a 15 de outubro será realizado em Sinop (MT) o II Simpósio de Pecuária Integrada (Simpi). Esta edição terá como tema a recuperação de pastagens e discutirá técnicas de produção sustentável de carne com foco na região Amazônica.

A programação contará com palestras e apresentação de trabalhos científicos, realizada no Centro de Eventos Dante de Oliveira, e com um dia de campo na área experimental da Embrapa Agrossilvipastoril.

“É um evento muito técnico. As palestras serão muito voltadas para o que o pecuarista precisa fazer, tanto é que a programação culminará com um dia de campo em que mostraremos o que está sendo feito no campo. Mas em paralelo existe um fomento à ciência, principalmente com a formação de recursos humanos. Será o primeiro ano que teremos apresentação de trabalhos científicos que estão relacionados à lavoura e pecuária de alguma forma”, comenta o pesquisador da Embrapa Agrossilvipastoril e um dos organizadores do Simpi, Bruno Pedreira.

Participam do Simpi pecuaristas, profissionais ligados à cadeia produtiva da carne, pesquisadores e estudantes. As inscrições ainda estão abertas e podem ser feitas no site www.pecuariaintegrada.com.br. Até o dia 12 de outubro os valores são de R$ 50 para estudantes de graduação, R$ 80 para alunos de pós-graduação e R$ 120 para profissionais. Caso ainda haja vagas, serão aceitas inscrições na secretaria do evento, sendo que os valores sobem para R$ 100, R$ 120 e R$ 150, respectivamente.

Programação

A programação do Simpi terá início como uma palestra sobre a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) como alternativa de produção sustentável nas fronteiras agrícolas. Na sequência, serão discutidos aspectos relacionados às plantas forrageiras, como desafios para a recuperação de pastagem e intensificação da pecuária, lavoura como alternativa para recuperação, manejo integrado de insetos em sistema de ILP, manejo de plantas daninhas, nutrição e adubação de plantas.

“A ideia é discutir como recuperar, qual a maneira mais barata de recuperar, quais são os desafios da recuperação. Um ponto que terá uma discussão forte no evento é que a recuperação pela recuperação não vale a pena. A recuperação tem que estar atrelada à manutenção. Por isso vamos tratar de adubação, nutrição de plantas forrageiras para a pecuária empresarial”, destaca Bruno Pedreira.

Na sexta-feira a programação abordará o manejo das pastagens e as técnicas de plantio direto de pasto. Na sequência, o animal terá maior destaque em apresentações sobre a importância do melhoramento genético de bovinos para os sistemas integrados, o potencial da produção de silagem, oportunidades de confinamento e semi-confinamento de bovinos de corte e os desafios sanitários em sistemas de confinamento.

“Se estamos falando em fazer agricultura e pecuária, essas atividades precisam se unir. Precisamos discutir como aproveito para fazer esse boi agregando valor dentro da propriedade. E elas vão se unir no confinamento onde a soja e o milho que seriam vendidas como commodities, passam a ser entregues como arroba de carne no frigorífico”, afirma Pedreira.

Durante a tarde, na quinta e sexta-feira, haverá sessões de apresentação de pôsteres. Os trabalhos foram submetidos previamente pelos participantes e avaliados por um comitê técnico-científico.

Dia de campo

O II Simpósio de Pecuária Integrada se encerrará na manhã de sábado, 15 de outubro, com um dia de campo sobre ILPF na área experimental da Embrapa Agrossilvipastoril.

No local serão montadas três estações em que cada uma abordará um dos componentes do sistema de produção.

Além de mostrar a condução de um sistema ILPF, o dia de campo apresentará resultados obtidos em quatro anos de pesquisas no sistema. Entre eles estão o desempenho obtido com a pecuária de corte no sistema, chegando a obter a média de 32 arrobas por hectare ano.

O II Simpi é realizado pela Embrapa, UFMT, Grupo de Estudos em Pecuária Integrada (GEPI), MT Ciência e Senar-MT. Mais informações no site www.pecuariaintegrada.com.br.

 

 

Fonte Assessoria