Mato Grosso, Quarta-Feira, 23 de Junho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
FAMÍLIA

Família é presa suspeita de matar parentes de vizinha em briga por casa

Marcia Jordan

10/10/2016 às 08:02

Família é presa suspeita de matar parentes de vizinha em briga por casa

Um casal e seu filho foram presos na sexta-feira (7) em Peixoto de Azevedo, a 692 km de Cuiabá, suspeitos de matarem 4 pessoas da família que vivia na casa vizinha.

A Justiça atendeu ao pedido de prisão dos três suspeitos José Gomes Cardoso, Deivison Takesk e Vilma Yoshito Cardoso. Eles são investigados pelas mortes de Rosiane Ferreira Sampaio, de 30 anos, e da meia-irmã dela, Tayanara Sampaio de Miranda, de 21 anos, em setembro. As duas mortes ocorreram em um intervalo de 15 dias.

Segundo a Polícia Civil, os crimes teriam ainda relação com outras duas mortes – a do padrasto das mulheres, Eloi Antônio Altenhofen, e do enteado dele, Rogério da Silva Oliveira, mortos em junho e julho deste ano.
Os quatro assassinatos teriam sido cometidos por causa de uma briga judicial entre os suspeitos e a vizinha e proprietária da casa em que eles moravam, em Peixoto de Azevedo.

O corpo de Rosiane foi encontrado no porta-malas de um carro carbonizado, na cidade vizinha Matupá, no dia 7 de setembro. Já a irmã levou um tiro na cabeça, em Peixoto no dia 23 do mesmo mês e morreu em Sinop.

Conforme o delegado Geraldo Gezzoni, que investiga os crimes, os suspeitos – marido, mulher e filho – moravam de favor na casa cedida pela proprietária há aproximadamente 10 anos, até que ela pediu a casa de volta, recentemente.

No entanto, a família se recusou a sair e entrou com uma ação na Justiça pedindo o direito de posse da propriedade. O pai Tayanara é testemunha da proprietária nesse processo e, por causa disso, em retaliação, os suspeitos teriam supostamente assassinado a filha e a enteada dele.

A cinco dias da audiência referente à essa ação, o marido da dona casa, Eloi Antônio Altenhofen, 51 anos, foi assassinado, numa propriedade rural da família, naquele município, no dia 29 de junhom quando duas pessoas invadiram o local. A mulher dele conseguiu fugir. Marido e filho de proprietária da casa também foram mortos num intervalo de 20 dias

Segundo Gezzoni, a bala retirada do corpo de Tayanara foi encaminhada para exames e a balística comprovou que ela partiu da mesma arma que matou Eloi e o enteado dele, Rogério da Silva Oliveira, de 40 anos, assassinado no dia 20 de julho, dentro de casa, também em Peixoto de Azevedo.

A polícia apurava as mortes de padrasto e enteado e, numa investigação paralela acerca do assassinato de Tayanara, ouviu o pai da jovem. Em depoimento, ele contou sobre um desentendimento com os vizinhos por causa dessa casa.

Foi pedida e concedida pela Justiça as prisões dos três suspeitos, José Gomes Cardoso, Deivison Takesk e Vilma Yoshito Cardoso, cujas idades não foram informadas, além de um mandado de busca e apreensão na casa da família. Durante o cumprimento do mandado, na sexta-feira, a polícia encontrou uma arma. Esse revólver apreendido ainda será encaminhado para perícia, que deverá apontar se ele foi usado para matar as quatro vítimas.

A suposta participação de outras pessoas nesses crimes ainda está sendo investigada. Os suspeitos estão presos temporariamente. Nesse caso, devem permanecer presos por 30 dias. Esse prazo pode ser prorrogado por mais 30 dias.

Corpo carbonizado

O corpo de Rosiane foi encontrado carbonizado com as mãos amarradas, numa região conhecida como ‘Linha do Cemitério’, na zona rural de Matupá. O carro em que o corpo estava pertencia à própria vítima. Ela era considerada desaparecida.

 

 

Fonte G1