Mato Grosso, Quarta-Feira, 20 de Novembro de 2019
Logo Só Informação
Informe Publicitário
EDER

Eder solicitará anulação de ação em que é acusado de lavagem em MT

Marcia Jordan

29/09/2014 às 11:08

Eder solicitará anulação de ação em que é acusado de lavagem em MT

O ex-secretário de Estado Eder Moraes requereu novamente no final da tarde da última sexta-feira ao juiz da 5ª Vara Federal de Mato Grosso, Jefferson Schneider, a intimação de novas testemunhas para serem ouvidas na ação penal a que responde por lavagem de dinheiro e ocultação de bens. Foram arrolados o advogado Kleber Tocantins Matos, citado em inquérito da Operação Ararath como suspeito de lavar dinheiro em seu escritório de advocacia e o arquiteto Abel Oliveira, responsável pelo projeto da casa de Eder Moraes no condomínio Florais dos Lagos.

A defesa ainda requer que a colunista social Kharina Nogueira, responsável em denunciar na Polícia Federal o esquema de lavagem de dinheiro em Mato Grosso que desencadeou a Operação Ararath, seja ouvida na fase de instrução processual. O juiz federal Jeferson Schneider já negou o pedido para que Kharina Nogueira seja ouvida, agora, trata-se de um pedido de reconsideração ao magistrado. “Seu nome foi deferido e se originou de circunstâncias e fatos apurados na instrução, o que enaltece ainda mais pela viabilidade jurídica e procedência do pedido”, diz um dos trechos da peça ao qual FOLHAMAX teve acesso.

É também solicitado pedido de reconsideração quanto à dispensa de ouvir como testemunhas Gércio Marcelino Mendonça, e os irmãos Cláudio Fernando Mendonça e Roni Henrique Mendonça. Para que novas testemunhas sejam ouvidas, a defesa alega que Eder Moraes não conseguiu preparar adequadamente o rol de testemunhas diante da complexa denúncia formulada pelo Ministério Público Federal (MPF) que o denunciou por 38 delitos e pode levá-lo a uma condenação superior a 30 anos de detenção, uma vez que, permaneceu mais de 60 dias preso preventivamente no Complexo da Papuda em Brasília.

O pedido de defesa técnica encaminhado pelo advogado Ronan de Oliveira Souza ressalta que a falta da ampla defesa e contraditório pode culminar em nulidade do processo conforme súmula do Supremo Tribunal Federal (STF). Jefferson Schneider deve decidir nesta semana se acata ou não os pedidos da defesa do ex-homem forte do governador Silval Barbosa (PMDB) e senador Blairo Maggi (PR).

Fonte Folhamax