Mato Grosso, Segunda-Feira, 26 de Julho de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
TAQUES

Taques e Lúdio trocam acusações por causa de jornal

Marcia Jordan

18/09/2014 às 10:20

Taques e Lúdio trocam acusações por causa de jornal

A menos de 20 dias para o primeiro turno das eleições, o nível da campanha eleitoral tende a baixar ainda mais. Nessa quarta-feira (17), os candidatos ao governo do Estado Pedro Taques (PDT) e Lúdio Cabral (PT) trocaram acusações na internet sobre a autoria de um jornal que foi espalhado em Cuiabá e Várzea Grande. A publicação, intitulada “Diário do Povo”, tece duras críticas ao senador e seus apoiadores e ainda aponta para a existência de um suposto dossiê que comprovaria formação de caixa 2 na campanha do pedetista.

Uma das edições do Diário do Povo trouxe na capa a pergunta “O resultado nas urnas já está definido? ‘São’ Pedro Taques, o próximo e “santificado” governador de Mato Grosso. Dessa forma, o texto atribui ao candiato uma postura sisuda e arrogante. Ainda na capa, além do excesso de confiança, o jornal critica os apoiadores de Taques. O empresário Aldo Locatelli, por exemplo, é chamado de “chefão”.

Em sua página no Facebook, Taques condenou o jornal e atribuiu a autoria ao “candidato do Silval”,numa clara referência ao petista, que representa a base governista na disputa eleitoral. “O candidato do Silval bem que avisou: o comitê da maldade vai ser ativado. E bastaram poucas horas para que essa previsão se concretizasse. Coincidência, né? Além de um programa político com edições, segundo o TRE, ‘inescrupulosas’, agora, este ‘jornal’ está sendo distribuído nas ruas de Cuiabá. Inteiramente de ataques, mentiras e baixarias. Uma tática suja, pequena, que debocha da cara do eleitor – como bem agem os desesperados que estão há mais de 10 anos no poder e sabem que a sujeira vai sair debaixo do tapete”, disparou.

Lúdio, por sua vez, entrou na briga online dizendo que Taques “se faz de bom moço..com acusações levianas e fáceis de desmascarar”. O petista negou vínculo com o “jornaleco” e lembrou que essa estratégia remete ao marqueteiro Antero Paes de Barros. “o criador do Comitê da Maldade”, que está na campanha do senador. “Condenamos veementemente esse tipo de artifício. Mas conhecemos bem quem é capaz de soltar esse tipo de material sempre nos períodos eleitorais, inclusive contra si próprio para atribuir a autoria à nossa campanha”, afirmou em sua página.

“Nunca precisamos nos esconder para criticar o candidato dos bilionários. Todas as nossas críticas foram feitas por nós mesmos e são públicas, disponíveis em centenas de entrevistas que concedemos na imprensa e aqui em nossa página”, se defendeu.

Outra “edição especial” do jornal, estampada com uma foto-montagem de Taques, Eraí Maggi (PP) e do senador Blairo Maggi (PR), afirma que um dossiê “cabeludo”, mostra a formação de caixa 2 , crime eleitoral, comandado por integrantes da família Maggi, com o objetivo de “comprar eleitores e apoios de lideranças políticas”. O jornal afirma que Eraí Maggi teria garantido até R$ 60 milhões para eleger Taques, “custe o que custar”.

De tudo o que se lê em Diário do Povo, apenas uma das informações é, até o momento, comprovada: a doação de R$ 4,5 milhões feita por membros da família Maggi a Taques, que foi declarada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O impresso está assinado por Ely Santantonio, apontado como diretor da publicação. 

Fonte GD