Dilmar Dal’Bosco deixa liderança do governo na Assembléia Legislativa

O deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM) oficializou nesta terça-feira, em caráter irrevogável, sua saída da liderança do Governo Pedro Taques (PSDB) na Assembleia Legislativa (AL-MT). O parlamentar justificou sua saída afirmando que precisa de reaproximar de suas bases eleitorais em razão das eleições deste ano.

Porém, a atitude pode ser mais um indício do “descolamento” do Democratas – que ensaia lançar candidatos a governador e  senador em Mato Grosso e até mesmo presidente da República -, do governador Pedro Taques (PSDB). “Após ouvir minha família e estando apenas seis meses do pleito eleitoral, cheguei a conclusão que minha permanência se torna inviável. Como é de conhecimento do governador, minha base fica distante da Capital, entre 250 quilômetros 1,3 mil quilômetros. Por conta dos afazeres da liderança, acabo me distanciando dos meus eleitores e suas necessidades políticas. Convicto de que fiz o melhor para o nosso Estado, em caráter irrevogável, não mais farei a interlocução entre o gabinete do Governo e esta Casa de Leis na função de líder do Governo”, declarou Dilmar.

O agora ex-líder do Governo, que tem o objetivo de defender projetos e leis propostas pelo Poder Executivo, e eventualmente barrar aquelas que não são do interesse da gestão, agradeceu a confiança. Dilmar Dal Bosco ocupava a função desde agosto de 2016. “Agradecido pela confiança recebida, quero ratificar o meu íntimo desejo de que vossa excelência continue no firme propósito de continuar governando com austeridade, respeito a coisa pública, e as pessoas, especialmente nestes tempos em que a crise financeira assola todos os Estados da Federação”, disse.

Na sequência, Dilmar Dal Bosco foi elogiado por outros parlamentares, como o deputado estadual da oposição, Allan Kardec (PT), e governista Adalto de Freitas, o “Daltinho” (SD), que destacaram que o colega da Assembleia-MT “cumpriu o seu papel”.

ELEIÇÕES 2018

Dilmar Dal Bosco é ex-presidente do DEM em Mato Grosso e um dos principais nomes da sigla no Estado. Sua saída da liderança do Governo pode ser outro indício do “descolamento” do Partido do governador Pedro Taques, que deve disputar a reeleição.

A direção nacional do DEM orientou que o partido lance nos Estados candidaturas majoritárias – com preferência ao Governo dos Estados – para garantir palanque ao presidente da Câmara dos Deputados, deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), que se lançou pré-canddiato a presidência da República. Em Mato Grosso, o partido, que tem como principais caciques os irmãos e ex-governadores Jayme e Júlio Campos, deu um passo decisivo ao conseguir trazer para a sigla o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB), que já confirmou que irá se filiar a agremiação.

Mendes é apontado como um nome forte para a disputa do Poder Executivo estadual e sua possível candidatura é vista com cautela até mesmo pelo próprio governador. Além dele, Jayme Campos também se colocou a disposição para encarar uma disputa majoritária – seja ao Governo ou Senado. Ele disse, inclusive, que não tem receio em enfrentar o governador Pedro Taques, de quem é aliado.

 

 

 

Fonte Diego Frederici

Comentários